EXCLUSIVO

Paulo Câmara 'guarda' cinco secretarias para 'compensar' PT pela vaga do Senado e fidelizar legendas para Danilo Cabral

Titulares deixaram Secretarias em 2 de abril, mas governador ainda não nomeou sucessores

JAMILDO MELO
Cadastrado por
JAMILDO MELO
Publicado em 29/04/2022 às 11:47 | Atualizado em 29/04/2022 às 11:51
PSB Nacional
Para os socialistas, Marília Arraes está alinhada com FBC e Miguel Coelho, para desgastar o PSB e Danilo Cabral e evitar vitória - FOTO: PSB Nacional
Leitura:


Nos bastidores da política, cresce o burburinho que o PT não será contemplado com a vaga do Senado na chapa da Frente Popular. Caberia ao PT a vaga de vice. A vaga do Senado caberia ao atual deputado federal André de Paula (PSD), devido a um acordo firmado entre o parlamentar e o prefeito João Campos (PSB) na campanha de 2020 do Recife. O blog já escreveu a respeito, em primeira mão.

Para os petistas pernambucanos serem "compensados", crescem rumores que seriam contemplados com pelo menos duas Secretarias de Estado, de "poteira fechada", como se diz no jargão da política, ou seja, ocupando todos os cargos em comissão da Secretaria.

O PT está fora do primeiro escalão do Governo do Estado desde 2020, quando rompeu a aliança com o PSB para lançar Marília Arraes no Recife. Hoje a deputada federal é pré-candidata a governadora pelo Solidariedade.

Um levantamento no Diário Oficial mostra que Paulo Câmara tem cinco Secretarias à disposição para negociar com o PT e demais legendas.

Os cinco secretários titulares pediram exoneração em abril, mas o governador preferiu não nomear sucessores definitivos para as vagas. As cinco Secretarias estão sendo geridas por interinos, que não estão nomeados como titulares.

Estão vagas as Secretarias de Ciência e Tecnologia, após a saída do deputado estadual Lucas Ramos (PSB). Também a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, após a saída do deputado estadual Claudiano Martins Filho (PP). A Secretaria de Desenvolvimento Social, após a saída de Sileno Guedes, presidente estadual do PSB. A Secretaria de Meio Ambiente, com a saída do professor José Bertotti (PCdoB). E, por último, a Secretaria de Turismo, com a saída do deputado estadual Rodrigo Novaes (PSB).

Diário oficial
Cargos vagos, conforme mostra o DO - Diário oficial

Todos estes cinco ex-secretários saíram no início de abril, no prazo da legislação eleitoral para poderem ser candidatos.

As vagas são cobiçadas, mesmo em fim de governo, pois permitem o recebimento de oito meses de salários de correligionários, nos cargos comissionados da Secretaria até dezembro.

Ainda, em caso de eleição de Danilo Cabral, fica mais fácil conquistar espaços no novo governo em 2023.

Além do PT, outra legenda que pode ser contemplada com o espaço é o PP, do deputado federal Eduardo da Fonte (PP). Ele tem reclamado publicamente, nos últimos dias, da Frente Popular, sugerindo que pode romper a aliança com o PSB.

Comentários

Últimas notícias