Formação de chapas

Marília Arraes pode ter Maurício Rands como vice, em aliança com Rede e Psol

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 17/05/2022 às 16:03 | Atualizado em 18/05/2022 às 9:24
FACEBOOK - MARÍLIA ARRAES
OFICIALIZADO Marília Arraes (SD) e André de Paula (PSD) caminharão juntos na campanha eleitoral - FOTO: FACEBOOK - MARÍLIA ARRAES
Leitura:

A candidata do Solidariedade, Marília Arraes, prepara-se para definir o vice na chapa, depois de obter o apoio do PSD e ter como companheiro no Senado o deputado federal André de Paula. De acordo com informações de bastidores, a deputada federal prepara uma cartada alta, angariando o apoio do PSOL e Rede, que fecharam uma federação. O nome em questão para vice é o economista Maurício Rands, ex-coordenador geral do programa de Eduardo Campos. "Uma belo de um tapa na cara da Frente Popular", revela um aliado marilista.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação

Com as negociações em curso, para o projeto dar certo seria necessário a colaboração do PSOL. Marília Arraes tem boas relações com o partido no Estado e o atual candidato do partido, João Arnaldo, foi seu candidato a vice na disputa no Recife, contra João Campos. Nesta nova empreitada, ele seria obrigado a desembarcar da candidatura e seria compensado com um eventual mandato de deputado federal. "João Arnaldo poderia ser o primeiro deputado federal do PSOL por Pernambuco", explica a fonte.

Com esta joga estratégica, a campanha de Marília Arraes traria cores mais à esquerda e poderia apresentar uma chapa mais plural, depois de colocar um nome de centro direita na chapa para o Senado.

A outra opção em análise é o ex-prefeito Julio Lossio, de Petrolina, que representaria a região do São Francisco na chapa, mantendo distância dos Coelhos. Ao que parece, para que a opção fosse concretizada, haveria a necessidade de apoio de dois presidentes de partidos, Eduardo da Fonte (PP) e Sebastião Oliveira (Avante).

"Com o posicionamento que tem hoje (em alta nas pesquisas), depois de arrombar os territórios, chamar André de Paula para o seu lado, no Senado, os dois podem escolher o vice que quiserem. O melhor candidato sem dúvida seria Maurício Rands", explicam aliados.

"Marília é o avião da hora (quem embarcar embarcou). Tirando Anderson Ferreira, que apostou na extrema direita, todos vão acabar convergindo para ela. Qual o motivo que teriam para não vir? a possibilidade de junção de Miguel e Raquel? Difícil, porque Raquel Lyra tem receio de um acordo com o grupo de Petrolina. Já Miguel, se quiser vir, que venha, mas sob condições. Ele sabe que Paulo Câmara, João Lyra e o pai dele, dentro do jogo (campanha) não ajudam".

PSOL se posiciona e nega possível aliança

Confira, na íntegra, o posicionamento do PSOL:

A executiva estadual do PSOL Pernambuco reafirma publicamente as pré-candidaturas do companheiro João Arnaldo para Governador do Estado e de Eugênia Lima para o Senado Federal. A postulação política majoritária do PSOL Pernambuco é uma decisão unânime definida em Congresso Estadual ainda em 2021 e ratificada em Conferência Eleitoral em janeiro deste ano.

O PSOL-PE tem respeito aos políticos citados na matéria, no entanto, não relaciona vinculação aos nomes por meio da federação PSOL/Rede e, tampouco, interesse em abrir mão das pré-candidaturas majoritárias em Pernambuco em nome de uma aliança sem caráter de esquerda e que não representa os princípios e programa do Partido Socialismo e Liberdade. Seguiremos galgando o nosso espaço representativo de esquerda e oposição em Pernambuco.

O PSOL vai sim apresentar uma alternativa popular, ecossocialista e de esquerda para o nosso estado. Seguiremos juntos com Lula, João Arnaldo e Eugênia para derrotar Bolsonaro e as velhas oligarquias de Pernambuco.

Rede também rejeita aliança

 

Confira a nota da Rede:

Para nós, da Rede, apesar de reconhecermos a importância da candidatura da Deputada Federal Marília Arraes, e também, o prestígio e tamanho do nosso correligionário Maurício Rands, afirmamos que, até o momento, o nosso partido em Pernambuco não dialogou com nenhum pré-candidato ao Governo.

Nesse contexto, reafirmamos que o único nome que temos aberto diálogo para discutir o futuro do Estado, é do pré-candidato João Arnaldo, compreendendo que este, é a indicação do PSOL na composição da nossa Federação em Pernambuco. Dessa forma, esclarecemos que os diálogos entre a nossa federação para composição na majoritária desta chapa, ainda acontecem.

O que é certo e legítimo é que a Rede Sustentabilidade não abre mão de debater um projeto para Pernambuco, que representa uma alternativa de enfrentamento ao bolsonarismo e ao atraso desses que governam Pernambuco há dezesseis anos. Assim, a REDE Sustentabilidade reitera o seu compromisso com a Federação REDE/PSOL, mas principalmente, com povo Pernambucano.

Comentários

Últimas notícias