ALAGAMENTOS

CHUVA NO RECIFE: forte chuva não é inédita e oposição critica gestão

Fortes chuvas castigam o Grande Recife nesta semana, fazendo precipitar, também, inúmeras críticas à Prefeitura, comandada por João Campos (PSB)

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 25/05/2022 às 17:28 | Atualizado em 25/05/2022 às 18:20
facebook/João Campos
Socialista aposta em ajuda internacional para ampliar atendimento à população na área de saúde - FOTO: facebook/João Campos
Leitura:

Fortes chuvas castigam o Grande Recife nesta semana, fazendo precipitar, também, inúmeras críticas à Prefeitura, comandada por João Campos (PSB). O gestor municipal argumenta que o volume de chuvas é inédito no passado recente da capital pernambucana, mas a oposição alega o contrário. A gestão se posicionou sobre o assunto (confira ao final da matéria).

Ainda em 2016, entre os dias 29 e 30 de maio, em 12 horas o Recife registrou 235 milímetros de chuvas. Nesse mesmo mês, entre os dias 8 e 9, a capital apresentou 187 milímetros de chuvas, até então equivale à precipitação de 17 dias. 

Nesse ano, o então prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), chegou a comentar o registro de 200 milímetros entre 1he 7h do dia 30 de maio: "Não há histórico de chuva como essa na cidade". Em 2015, entre os dias 28 e 29 de junho, foram 228 mm.

João Campos, na manhã quinta-feira (25), indicou que nas últimas 24h foram registrados 194mm. O número, segundo o gestor, já está entre as 3 maiores da história da cidade.

Robeyoncé Lima (PSOL), co-deputada estadual pelo Juntas e pré-candidata a deputada federal, foi às redes reclamar do prefeito. "Todo ano tem chuvas fortes nessa época e todo ano o PSB coloca a culpa do desmantelo na cidade nas chuvas. A culpa é da natureza por existir? Faltam políticas públicas de planejamento para nossa cidade, principalmente para área pobre", aponta.

Em 2019, deu-se conta de uma precipitação de 186mm em doze horas. Aconteceu no 13 de junho, o que correspondeu, na ocasião, a 14 dias de chuvas em relação à média histórica para o período, que naquele momento era 389,60mm. Foi a 6ª maior chuva em 24h para junho em 58 anos.

Em maio de 2021, o volume de chuvas também se destacou: o acumulado no Recife foi de 535,4 mm, aproximadamente 42% acima da normal climatológica provisória (2000-2018) para o mês que é de 311,8 mm.

O acumulado para o mês de maio de 2021 só perdeu para o de 2011, quando o número atingiu 677,6 mm. Em maio do ano passado, o maior registro total diário de chuva foi de 120,8 mm, registrado no dia 14.

Alcides Cardoso, vereador pelo PSDB, completa Robeyoncé: "Quando as chuvas causam transtornos e deslizamentos nos morros do Recife, o discurso do PSB é sempre de que o volume superou as expectativas. Não há planejamento para evitar tragédias nas áreas de risco e acabar com os pontos de alagamentos tão conhecidos. Faltam ações concretas".

Líder da oposição na Câmara Municipal, Renato Antunes (PSC) seguiu a mesma linha: "Muita apreensão pela cidade. Infelizmente, no Recife não há disposição e empenho da prefeitura em colocar em prática um plano que reduza o impacto das chuvas nas ruas, nos morros. Seguirei cobrando que a gestão desengavete o plano de drenagem".

Em nota, prefeitura do Recife defende medição atual, mas não fala sobre dados citados anteriormente

Confira, na íntegra, a nota enviada pela PCR ao Jornal do Commercio:

A Prefeitura da Cidade do Recife esclarece que os dados utilizados nesta quarta-feira (25) acerca do índice de chuvas que caíram sobre a cidade do Recife seguem os preconizados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A gestão está investindo R$ 148 milhões na Ação Inverno 2022, um crescimento de cerca de 50% em relação ao ano passado, incluindo obras de contenção de encostas, limpeza de canais, micro e macrodrenagem, prevenção e monitoramento em áreas de risco e eliminação de pontos críticos de alagamento, entre outras atividades. Além disso, no dia de hoje foram empregados mais de mil servidores das áreas de Defesa Civil, Assistência Social, agentes de trânsito e limpeza urbana para minimizar o impacto das águas sobre a cidade.

A gestão municipal considera o debate desta natureza totalmente infrutífero e descabido, servindo apenas para tentar alimentar politicamente pequenos setores da sociedade civil, enquanto a cidade e parte da população sofriam com os efeitos das chuvas.

A gestão municipal ratifica o seu compromisso em estimular desenvolvimento social e geração de oportunidades por meio de uma ampla frente de programas e ações públicas, tais quais o EducaRecife, Crédito Popular do Recife, Embarque Digital, A Casa É Sua, Plano Recife Vacina, Programa Recife Virado, dentre outras iniciativas.

Comentários

Últimas notícias