DESAPARECIDOS

Suspeito confessa motivo do assassinato de Dom Philips e Bruno Pereira

Um dos suspeitos detidos na investigação do desaparecimento de Dom Philips e Bruno Araújo Pereira confessou o assassinato do jornalista britânico e do indigenista brasileiro

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 15/06/2022 às 15:34 | Atualizado em 15/06/2022 às 16:14
REPRODUÇÃO
AMAZONAS Faz uma semana que o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips estão desaparecidos - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

Um dos suspeitos detidos na investigação do desaparecimento de Dom Philips e Bruno Araújo Pereira teria confessado o assassinato do jornalista britânico e do indigenista brasileiro. Eles desapareceram na Amazônia, no último dia cinco.

De acordo com a Band, Osoney da Costa confessou ter matado, junto com Amarildo dos Santos, Dom Philips e Bruno Pereira ainda no dia 5 de junho. Os criminosos dizem ter sido flagrados e fotografados durante ato de pesca ilegal.

Há dois meses, Bruno denunciou a quadrilha dos assassinos confessos e fez um mapeamento da área para as autoridades, com relatório de locais e fotos dos envolvidos na organização criminosa. Dentre eles, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, e o irmão dele, Oseney da Costa Oliveira, o Dos Santos.

Dom e Bruno teriam sido rendidos e mortos pela dupla, que ainda teria decepado os corpos do jornalista e do indigenista. Eles foram esquartejados, queimados e ainda jogados numa vala na região do Vale do Javari, na Amazônia, de acordo com o depoimento.

Espera-se coletiva da Polícia Federal, ainda nesta quarta-feira (15), para dar encerramento ao caso. O desaparecimento de Bruno e Dom levantou discussões, no Brasil e no mundo, sobre atividades criminosas e exploração na Amazônia.

Dom Philips e Bruno Araújo desapareceram no Vale do Javari, Terra Indígena na Amazônia. Eles foram vistos pela última vez numa comunidade chamada São Rafael. De lá, seguiram para Atalaia do Norte, mas nunca concluíram a viagem ao local, que dura aproximadamente duas horas.

Quem são Dom Philips e Bruno Pereira, desaparecidos na Amazônia

Dom Philips é um jornalista britânico, que colabora com o The Guardian. O jornal inglês, em tempo, já se pronunciou e disse que temia pela segurança do repórter, especializado na cobertura de meio ambiente. Ele viajava pela região durante pesquisa para seu novo livro.

Bruno Pereira é considerado um dos maiores especialistas em indígenas que vivem em isolamento ou de recente contato do país. Segundo a lideranças indígenas locais, o indigenista era alvo de ameaças constantes de madeireiros, garimpeiros e pescadores.

Comentários

Últimas notícias