economia

FMI aponta crescimento do PIB brasileiro acima da média global

FMI indica que economia brasileira terá em 2023 crescimento maior que média global, veja situação e entenda estimativas dos principais países. Previsão do PIB do Brasil aumentou em novo relatório

Imagem do autor
Cadastrado por

Cynara Maíra

Publicado em 10/10/2023 às 9:43
Notícia
X

Nesta terça-feira (10), o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou os dados do relatório Panorama Econômico Mundial, que apresenta a situação econômica dos países ao redor do mundo. Os números indicam que o Brasil terá um acrescimento levemente acima da média global

FMI indica que economia brasileira crescerá levemente acima da média global

O novo relatório melhora os índices para economia brasileira. Mesmo que tenha uma diferença pequena de 0,1% a mais, o indicativo do FMI é de que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve crescer acima da média global

Enquanto a estimativa é de que o crescimento global para 2023 seja de 3%, o Brasil consegue uma previsão para crescer 3,1%, cerca de um ponto acima do que era indicado no relatório do FMI de julho.

O país não é único da América Latina a garantir uma melhora econômica acima desse índice, o México também conseguirá um crescimento de 3,2%. Enquanto o Brasil consegue essa alta por conta da melhora no mercado de matérias-primas, o México se beneficia da nova organização das cadeias de abastecimento entre Estados Unidos e China. 

Enquanto isso, os índices preocupam entre as economias mais avançadas, o pior dos casos é da Alemanha, que está prevista para ter uma queda de 0,5% no ano. Apesar disso, o país do G7 que estará em recessão (falta de crescimento na economia). A razão apontada para essa situação foram os problemas energéticos causados pela guerra na Ucrânia. 

França tem previsão de crescimento em 1%, 0,2% a mais do que no relatório de julho e a Espanha mantém a alta de 2,5% para esse ano. Reino Unido tem uma elevação lenta de 0,5% e a Itália 0,7%. 

Os Estados Unidos, que preocupam economistas por uma possível recessão, parece estar longe do índice que amedronta investidores, ficando em 2,1% e 2023 e caindo para 1,5% em 2024. A China também terá uma diminuição no índice de crescimento, mas ainda acima de várias potências, ficando com alta de 5% em 2023. 

TAXA SELIC É REDUZIDA EM 0,5% pelo BANCO CENTRAL

Tags

Autor