segurança pública

Queda do comando da PM já era esperada desde o final do ano passado

Caiu também agora o comando da Polícia Civil, no mesmo dia que categoria promete greve

Imagem do autor
Cadastrado por

Jamildo Melo

Publicado em 23/01/2024 às 9:49 | Atualizado em 23/01/2024 às 15:00
Notícia
X

Entre os políticos mais bem informados do Estado, a queda do comando da Polícia Militar (PM) de Pernambuco já era dada como carta marcada desde a virada do ano. No mês de dezembro, primeiro sob o novo programa de segurança do governo Raquel, havia sido ruim, com número recorde de mortes violentas. Além disto, o comando acumulava desgastes, segundo relato ouvido pelo blog de Jamildo, na virada do ano.

O primeiro mês do Juntos pela segurança foi o mais violento do ano em Pernambuco. Na semana passada, o blog também revelou em primeira mão a ameaça de greve da Polícia Civil, nesta terça. O ato está confirmado.

Nesta segunda, o Governo de Pernambuco anunciou mudanças nos comandos da Polícia Militar e da Polícia Civil.

O coronel Ivanildo Cesar Torres de Medeiros assumiu o Comando Geral da Polícia Militar, em substituição ao coronel Tibério César dos Santos.

O delegado Renato Márcio Rocha Leite assumiu a chefia da Polícia Civil, cargo anteriormente ocupado pela também delegada Simone Aguiar.

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial desta terça-feira (23).

O novo comandante da Polícia Militar, coronel Ivanildo Torres, ingressou na corporação em 1995. Ele possui graduações no Curso de Formação de Oficiais pela Academia de Polícia Militar de Paudalho, bacharelado em Direito e licenciatura em Filosofia, além de pós-graduação em Capacitação Pedagógica, Gestão em Segurança Pública, Planejamento Organizacional e Gerenciamento de Desastres e Emergências. É especialista na área de Gerenciamento de Crise e Desastre.

O delegado Renato Leite é bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco e possui pós-graduação em Políticas Públicas de Segurança. Ele integra os quadros da Polícia Civil pernambucana desde 2000.

Despedida formal

“Agradeço a contribuição ao serviço público do coronel Tibério e da delegada Simone, que estiveram conosco desde o início do nosso governo. O coronel Torres e o delegado Renato assumem o comando da PM e da Polícia Civil, respectivamente, com o compromisso de fortalecer as ações das operativas da Secretaria de Defesa Social e fazer de Pernambuco um estado mais seguro”, disse a governadora Raquel.

Veja a NOTA SOBRE MUDANÇA DO COMANDO DA DELEGACIA GERAL da Adeppe


No final da noite de ontem, dia 22 de janeiro de 2024, recebemos, com perplexidade, a exoneração da Delegada Geral Simone Aguiar, às vésperas do maior evento do nosso Estado, o Carnaval Pernambucano. Sem dúvidas, não há momento mais inoportuno para a troca de gestão na segurança pública.

A falta de diálogo do Governo com as polícias, bem como com as entidades de representação das categorias, foi um dos fatores decisivos para essa mudança incomum. Eis que trata-se de um momento muito delicado, com grande aglomeração de pessoas e com a necessidade de concentração de esforços para a segurança de toda a população.

A Associação dos Delegados agradece a Simone Aguiar pela condução da Polícia Civil de Pernambuco nesses 13 meses de gestão, sempre recebendo a entidade de forma democrática e respeitosa.

A ADEPPE deseja ao novo Delegado Geral, Renato Márcio Rocha Leite, sucesso na condução da Polícia Judiciária Pernambucana, inclusive por já ter demonstrado competência na gestão de várias unidades do Estado.

Cabe registrar que a simples mudança do Delegado Geral desacompanhado de sinalização concreta de melhorias das condições de trabalho e na valorização do policial civil, infelizmente, não levará aos resultados almejados pela Governo do Estado e pela população.

O programa de segurança lançado pelo Governo do Estado (Juntos pela Segurança) foi o primeiro no país a não prever nenhuma valorização às forças de segurança, sendo este um grande erro da gestão do Governo de Pernambuco, resultando na recente explosão da criminalidade em todo o estado.

Diogo Victor
Presidente da ADEPPE

Tags

Autor