Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Como um pacote de empréstimos vai ajudar Paulo Câmara a fazer mais investimentos no último ano de governo

O investimento público será de R$ 5 bilhões. Novidade da apresentação do Projeto Retomada foi a participação do secretário Geraldo Julio.

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 03/08/2021 às 16:35
Notícia
ALUISIO MOREIRA/SEI
Plano Retomada traz pacote de incentivos e desonerando empresários e gerando postos de trabalho. - FOTO: ALUISIO MOREIRA/SEI
Leitura:

O governador Paulo Câmara programa encerrar seu segundo mandato com um perfil de tocador de obras que Pernambuco só viu quando Jarbas Vasconcelos vendeu a Celpe e Eduardo Campos estava alinhado com Lula.

Nesta terça-feira (03), ele reuniu os representantes dos três poderes para dizer que, daqui até o final do ano que vem, investe R$ 1,5 bilhão com recursos próprios e, em 2022, mais R$ 3,7 bilhões. Um volume de gastos públicos que é até maior que Eduardo Campos conseguiu nos dois últimos anos do primeiro governo.

Mas é importante esclarecer. Parte dos R$ 3,7 bilhões anunciado pelo governador virão de um pacote de empréstimos com, ao menos, dois bancos nacionais (portanto em reais), com valor estimado de R$ 2,4 bilhões. Eles já podem ser contratados em janeiro de 2022. Isso em razão do Estado ter obtido, este ano, a classificação de B junto da Secretaria do Tesouro Nacional e, assim, poder voltar a contratar empréstimos.

Paulo Câmara já conversa sobre o assunto com o setor financeiro e, para isso, está andando com uma planilha de quase 120 itens onde programa gastar o dinheiro do empréstimo com investimentos.

Nesta terça-feira, ele mostrou que trabalha com ao menos quatro grandes eixos: Educação, Rodovias, Água e Saneamento e Aeródromos, um item que tem destinos para equipar de fato os terminais de Caruaru, Garanhuns. Serra Talhada e Araripina.

Como parece claro que ele não vai gastar tanto dinheiro apenas em escolas e aeródromos, parece claro que o grosso do dinheiro vai mesmo para saneamento, assumindo obras que deveriam ser objetos de convênios com a União e, o caso de estrada, iniciando obras como o Arco Metropolitano.

Ele também quer dar uma geral em dezenas de estradas, inclusive usando já as modificações de construção que a Secretaria de Infraestrutura está debatendo com o DNIT, de modo a melhorar os métodos construtivos.

SEM DETLHAMENTO DOS GASTOS

O Governo do Estado, entretanto, não distribuiu maiores informações sobre os gastos de 2022 embora tenha insistido que este ano já vai aplicar R$ 1,5 bilhão resultado do ajuste de suas contas que o levaram a obter a classificação de Capag B.

E, naturalmente, incluiu todo o pacote de investimentos do setor privados quem vem conseguindo captar e que somados chegam a R$ 30,8 bilhões com os projetos da Aché, Temape, Ampliação da Termelétrica da Neoenergia, Termelétrica II, Blau Farmacêutica, Terminal de Regaseficação e as plantas de Hidrogênio Verde ((H2V) e da Termelétrica CH4.

Também, incluiu os projetos dos novos hotéis do nosso polo turístico que somam R$ 1 bilhão entre eles o projeto do resort de Tamandaré estimado em R$ 300 milhões e novo hotel do Sesc em Sirinhaém que deve custar perto de R$ 100 milhões.

O Governo também exibiu os investimentos de mais de R$ 500 milhões que conseguiu captar em dois novos hospitais (Hapvida Recife, Memorial Estra Recife). Dois empreendimentos também mereceram destaques as plantas da Masterboi,  em Canhotinho e Noronha Pescados, em São Loureço da Mata.

MEIO SALÁRIO PAGO PELO GOVERNO

Uma das ações mais ousadas do projeto é o Projeto Emprego PE que pode se tornar uma experiencia bem interessante para alavancar empregos especialmente emprego de baixo custo em micro e pequena empresas.

O governo do Estado se compromete a pagar meio salário-mínimo (R$ 500,00) por cada emprego novo que a empresa gerar durante seis meses limitado a 10 contratações. A proposta é alavancar até 20 mil novas contratações formais em seis meses investido R$ 66 milhões.

O programa será gerenciado pela secretaria de Trabalho e poderá acessado via aplicativo com previsão de crédito da conta da empresa. A meta é chegar a 20 mil novas contratações com o comprometido de até R$ 3,300 por empregado limitado ao benefício total de R$ 33 mil por empresa.

GERALDO JULIO APARECE

A novidade foi a presença do secretário Geraldo Julio no evento mostrando que está a crente da secretaria que lidera as captações. Desde que saiu da prefeitura em dezembro, o ex-prefeito enviou a sua secretaria executiva, Ana Paulo Vilaça, para dar as notícias das restrições à covid-19 ao lado do secretário de Saúde, André Longo.

Nesta terça feira ele declarou que “O Governo tem um olhar privilegiado. Analisamos outros países do mundo, que também estão se estruturando com o avanço da vacina, para conseguir fazer a retomada. Sobretudo com o foco em resgatar empregos e gerar renda.”

A questão da geração de renda parece ser um outro foco do Projeto Retomada. Paulo Câmara fez questão de declara que seu objetivo é dar mesmo acesso a crédito facilitado e ampliado, por meio da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), em duas modalidades.

No Giro AGE, o empresário pode ter acesso a até R$ 100 mil, com três meses de carência, 33 meses para pagar e juros de 0,99% ao mês. Já no Crédito Popular, o valor a ser liberado pode chegar a R$ 5 mil, com dois meses de carência, 14 meses para pagar e juros de 0,50% ao mês.

Finalmente, o projeto Retomada destaca duas novas frente de investimentos privados em PPPS que segundo o governador devem somar R$ 6,4 bilhões em barragens, centro de convenções, energia renovável e parques entre outros.

Comentários

Últimas notícias