empregos

Programa de geração de emprego de Paulo Câmara pagará metade do salário de funcionários de empresas por seis meses

Com a ajuda emergencial, o Estado espera que as empresas possam depois deste período de seis meses engrenar e manter o nível de empregos.

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 03/08/2021 às 9:59
Hélia Scheppa/SEI
O governador Paulo Câmara (PSB) - FOTO: Hélia Scheppa/SEI
Leitura:

O programa de estímulo à geração de empregos que o governador Paulo Câmara anuncia nesta manhã, no Palácio do Campo das Princesas, vai prever uma ajuda emergencial para que as empresas privadas voltem a contratar e possam retomar às suas atividades, depois de 18 meses de pandemia.

O empresário que fizer contratações por meio do programa Emprega PE terá metade do salário do funcionário pago com a ajuda do Estado. O subsídio foi fixado em metade do valor de um salário mínimo.

A meta inicial do governo é ter 20 mil pessoas empregadas no programa especial, por até seis meses.

Setores de como bares e restaurantes são exemplos de empresas que poderão se beneficiar da iniciativa, mas ele será aberto a todo tipo de empresas.

Com a ajuda emergencial, o Estado espera que as empresas privadas possam depois deste período de seis meses engrenar e manter o nível de empregos. Um dos objetivos é ajudar as empresas que estão inseguras neste momento de retomada ou sem capital de giro neste momento para recontratar pessoal.

O programa terá que ser aprovado pelos deputados estaduais, em um projeto de lei que deve ser encaminhado ainda hoje.

O Estado calculou que deve investir cerca de R$ 60 a R$ 70 milhões no Emprega PE, mas o plano Retomada prevê investimentos de até R$ 5 bilhões, por ter obras de infra-estrutrura.

No total, a expectativa é que 133 mil novos postos de trabalho sejam criados em Pernambuco.

Comentários

Últimas notícias