COLUNA MEU PET

Meu cachorro ou gato pode pegar coronavírus?

Os casos de coronavírus registrados pelo mundo têm causado pânico entre os tutores de pets

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 06/03/2020 às 17:04
Notícia
Foto: AFP
Fotos de cães com máscara para evitar o coronavírus têm circulado pelas redes - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Por Amanda Rainheri, da Coluna Meu Pet

Os casos de coronavírus registrados em diferentes países pelo mundo também têm colocado em alerta tutores de pets. Fotos de cães e gatos com máscaras circulam pela internet, causando pânico entre os criadores de animais de estimação.

>> Campanha pede ajuda para gatos abandonados

>> Vietnã realiza primeira exposição de gatos, veja as imagens

A veterinária Thais Matos separou alguns pontos de atenção e aponta quais medidas são importantes para manter a saúde do seu pet.

 

Existem diferentes tipos de coronavírus

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o coronavírus é uma ampla família de vírus que podem causar diferentes problemas de saúde, desde resfriados comuns até enfermidades mais graves, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS-CoV) e a síndrome respiratório aguda severa (SARS-CoV). Além disso, o primeiro registro em humanos ocorreu na década de 1960.

Essas infecções geralmente apresentam quadros de febre e sintomas respiratórios, como tosse, espirros e dificuldade para respirar. Em casos mais graves, podem causar pneumonia, síndrome respiratória aguda severa, insuficiência renal e até levar à morte.

Algum tipo de coronavírus pode afetar os animais de estimação?

Recentemente, exames em um cachorro em Hong Kong, China, registraram baixo nível de coronavírus, mas ainda não há confirmação se o vírus pode afetar os animais de estimação ou, então, se eles podem transmiti-lo aos humanos. O que se sabe é que na década de 1980 uma espécie de coronavírus canino matou cerca de 80 mil cachorros em São Paulo (BR). Este vírus, porém, não afetava os humanos e tinha outros sintomas: desenvolvia gastroenterite viral canina, falta de apetite, prostração, diarreia e vômitos.

Segundo a veterinária, é importante não entrar em pânico na hora de manter os cuidados essenciais para proteger nossos peludinhos de doenças e vírus: "As medidas de higiene e prevenção são a melhor defesa", comenta Thais Matos.

Máscaras em animais de estimação

Imagens de cães com máscara ganham espaço nas redes sociais e causam pânico entre os pais e mães de pets. Mas, segundo a veterinária, esta medida pode trazer problemas para o animal. "Colocar a máscara no focinho do cão pode fazer o tutor se sentir mais seguro, porém não irá proteger o animal. É melhor se informar com fontes confiáveis, como a OMS, e entender se este tipo de vírus pode afetar os animais para evitar possíveis consequências para a saúde do pet", finaliza a especialista.

Além disso, o coronavírus canino - aquele registrado na década de 1980 - era transmitido por meio das fezes de animais contaminados, sendo o contato fecal-oral a principal via de infecção. Neste cenário, é necessário manter os espaços, roupas, camas e brinquedos do animal de estimação bem limpinhos, alerta a veterinária Thais Matos.

Como posso cuidar no meu pet?

Até o momento, o melhor a se fazer é manter higienizados os locais e os objetos do animal de estimação: "Como não há a confirmação se o animal pode ser infectado pelo novo coronavírus, essa é a melhor recomendação, além da vacinação em dia e de uma boa alimentação, a fim de fortalecer o sistema imunológico do pet", afirma a veterinária.

LEIA MAIS TEXTOS DA COLUNA MEU PET EM jc.com.br/meu-pet

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias