MOBILIZAÇÃO

Com 14 mortes de mulheres, Cabo de Santo Agostinho tem ato pelo fim da violência

Quatro feminicídios foram contabilizados no município somente neste ano

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 10/12/2021 às 21:43
RAFAEL NEGRÃO/DIVULGAÇÃO
Mobilização pediu fim da violência contra a mulher no Cabo de Santo Agostinho - FOTO: RAFAEL NEGRÃO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Mobilização realizada nesta sexta-feira (10) pediu o fim da violência contra a mulher no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Somente neste ano, 14 vítimas foram assassinadas. Desse total, quatro casos foram classificados como feminicídios. 

O ato aconteceu à tarde, na Praça da Estação, no centro da cidade. Na ocasião, as manifestantes ecoaram juntas que não admitem nenhum tipo de violência de gênero. O ato em defesa da vida das mulheres foi realizado pelo Centro das Mulheres do Cabo e pelo Comitê de Monitoramento da Violência e do Feminicídio no Território Estratégico de Suape.

Marcaram presenças representantes de organizações de mulheres dos municípios do Cabo, Escada, Ipojuca e Sirinhaém, jovens do Projeto Meninas em Movimento pela Educação e o Fojuca (Fórum de Juventude do Cabo).

O ato foi animado pela MC Nanny Nagô e o grupo cultural do Engenho Guerra de Ipojuca.

VIOLÊNCIA NO CABO

Levantamento do Instituto Fogo Cruzado apontou que, em novembro, o Cabo de Santo Agostinho teve 27 tiroteios, com 20 mortos e 12 feridos. 

Ponte dos Carvalhos, no Cabo, foi o bairro da RMR que teve o maior número de mortos por arma de fogo no mês passado: cinco (além de três feridos). O município continua com violência elevada.

Comentários

Últimas notícias