VEÍCULOS DE APLICATIVO

GOLPE DO CHEIRO: Polícia está investigando denúncias em Pernambuco

Vários relatos de mulheres que dizem ter sido vítimas no Recife foram publicados nas redes sociais nos últimos dias

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 10/06/2022 às 16:46 | Atualizado em 10/06/2022 às 16:59
ILUSTRATIVA/PEXELS
Passageiras denunciam "golpe do perfume" dentro de carros de motoristas de aplicativo - FOTO: ILUSTRATIVA/PEXELS
Leitura:

Boletim de ocorrência registrados por mulheres que dizem ter sido vítimas do "golpe do cheiro" ou do "perfume", como também é chamado, estão sendo investigados pela Polícia Civil de Pernambuco. Nos últimos dias, vários relatos no Recife foram publicados nas redes sociais - o que também está ocorrendo em outras partes do País. 

Nas queixas, em geral, as mulheres contam que, durante a viagem nos veículos de aplicativo, os motoristas deixam apenas a janela deles abertas, enquanto as outras ficam fechadas. Além disso, estão usando máscaras. Posteriormente, um spray é disparado e, em pouco tempo, as vítimas começam a se sentir mal. 

Em Pernambuco, as investigações estão sendo tratadas sob total sigilo. Questionada pela coluna Ronda JC, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou apenas que "fatos noticiados por meio de boletins de ocorrência relatando supostos golpes praticados por condutores de veículos de aplicativos estão sendo apurados. No momento não é possível fornecer mais informações". 

As localidades onde as mulheres teriam sido vítimas também não foram informadas.

Uma recomendação do Departamento da Polícia da Mulher (DPMul), é que as possíveis vítimas façam prints das informações sobre o motorista, como placa do veículo, para ajudar nas investigações. E também para que as empresas desse serviço fiquem cientes e apurem a conduta dos profissionais. 

Queixas relacionadas ao "golpe do cheiro" podem ser registradas em qualquer delegacia do Estado. 

RELATO

Em entrevista ao NE10, na semana passada, uma estudante disse ter sido vítima do "golpe do cheiro".

"Com menos de cinco minutos de corrida, eu senti meu com o corpo fraco, ficando sem ar. Eu não acreditei que aquilo estava acontecendo comigo. Graças a uma reportagem que tinha lido sobre o assunto foi que percebi do que se tratava e tentei sair do carro."

Ao sentir a perda da consciência, a jovem pediu para sair do carro antes de chegar ao destino final. Foi então que ela desceu do veículo na Estrada dos Remédios, Zona Oeste do Recife, e buscou ajuda em uma clínica de psicologia. "Ele (motorista) não se ofereceu pra encostar o carro, não perguntou o motivo, não falou nada. Ainda bem consegui abrir a porta e saí correndo, com bolsa, celular na mão e tudo."

O QUE DISSE A UBER SOBRE O GOLPE

A empresa Uber disse tratadas denúncias "com a máxima seriedade" e que "avalia cada caso individualmente para tomar as medidas cabíveis".

"Nos colocamos à disposição das autoridades competentes para colaborar, nos termos da lei. De qualquer forma, a única denúncia dessa natureza relativa a viagens no aplicativo da Uber que já teve a investigação concluída pela Polícia, até onde temos conhecimento, ocorreu em Canoas (RS) e o caso foi encerrado após o inquérito policial, já que, de acordo com as autoridades, não houve elementos de prática de crime", declarou a empresa em nota.

O QUE DISSE A ASSOCIAÇÃO DOS MOTORISTAS SOBRE O GOLPE

Na semana passada, o presidente da Associação dos Motoristas e Motofretistas por Aplicativos de Pernambuco (Amape), Thiago Silva, encaminhou uma nota pública à imprensa questionando o chamado golpe do perfume ou do gás. Leia o texto:

1 - Está circulando nas redes sociais, DESINFORMAÇÃO, a cerca de supostos casos de tentativa de intoxicação com gás, em carro de aplicativo.

2 - Além de informações desencontradas, se percebe claramente que não há nenhum tipo de prova material.

3 - Temos recebido relatos de exposição de motoristas, sem provas, em redes sociais, o que caracteriza crime de calúnia contra estes profissionais, além da divulgação de informação falsa.

4 - Uma plataforma, informou, através de posicionamento, que até agora, só existe um caso, no Rio Grande do Sul, que teve o inquérito encerrado por falta de prova.

5 - Por isso, nossa orientação é que os motoristas de aplicativos de Pernambuco gravem em áudio e vídeo, todas as viagens.

6 - Vale uma reflexão: o gás não afetaria também o motorista?

Comentários

Últimas notícias