INSEGURANÇA

Jaboatão dos Guararapes vive onda de violência; Assassinatos cresceram 22%

Mesmo com dois batalhões da Polícia Militar, Jaboatão já registrou 143 homicídios em apenas cinco meses de 2022

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 22/06/2022 às 7:00
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Assassinatos cresceram nos cinco primeiros meses de 2022 em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

O crescimento da violência no município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), impõe o medo à população e desafia a polícia. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, 143 pessoas foram assassinadas. Média de um crime por dia. No mesmo período do ano passado, 117 homicídios foram registrados. Isso significa que houve aumento de 22,22% nas mortes violentas.

Percentualmente, Jaboatão dos Guararapes apresenta crescimento ainda mais preocupante do que a Região Metropolitana, onde o município está inserido.

No acumulado, a RMR (sem contar com a capital), já registrou 467 homicídios entre janeiro e maio de 2022. O aumento é de 15,88% em relação ao mesmo período de 2021, quando 403 foram mortas.

Nem mesmo a presença de dois batalhões da Polícia Militar - além de várias delegacias - tem sido suficiente para diminuir a criminalidade e a sensação de medo da população. Em números absolutos, Jaboatão é o segundo município com mais assassinatos neste ano, perdendo apenas para o Recife - que somou 249 registros.

O Instituto Fogo Cruzado, que contabiliza os casos de violência por arma de fogo, apontou que Cavaleiro, em Jaboatão, foi o bairro de toda a RMR onde houve maior quantidade de tiroteios no último mês de maio. Foram oito registros, com um total de oito mortes e uma pessoa ferida.

Em abril, os bairros de Cajueiro Seco e Barra de Jangada, ambos em Jaboatão, também apareceram entre os cinco mais violentos. No primeiro, houve sete tiroteios, com três mortos e três feridos. No segundo, quatro tiroteios, com seis mortos e três feridos.

O gestor da Divisão de Homicídios Metropolitana Sul, Cláudio Neto, reconheceu o aumento da violência no município.

"Mas não podemos perder de vista que esse aumento leva em consideração o mesmo período de 2021. Naquele ano, num trabalho completamente integrado entre as operativas da Secretaria de Defesa Social, nós conseguimos atingir o menor número de CVLIs (Crimes Violentos Letais Intencionais) no município. Foi o melhor resultado da série histórica", disse.

O fato é que a violência voltou a subir muito em Jaboatão. E moradores de vários bairros, amedrontados com os crimes, deixam até de sair à noite - horário em que ocorre a maioria dos homicídios.

ARTES JC
VIOLENCIA EM JABOATÃO - ARTES JC

MOTIVAÇÃO DA VIOLÊNCIA EM JABOATÃO

"Com relação aos crimes, 89% têm com as atividades criminosas, a exemplo do tráfico de drogas, o que comprova não só a complexidade e também o tamanho do nosso desafio", afirmou o delegado.

Na noite do último domingo (19), no bairro de Vila Rica, um homem identificado como Mieckson Rodrigues da Silva, de 25 anos, foi perseguido por outro rapaz que estava com uma faca. A vítima acabou alcançada e atingida várias vezes até a morte.

O corpo de Mieckson foi encontrado na garagem de uma residência. No local, os moradores afirmaram que não conheciam o jovem.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima já cumpriu pena por tráfico de drogas. A Polícia Civil investiga a autoria e a motivação do crime.

"Posso afirmar que todas as delegacias estão se empenhando para conter esse aumento (de mortes em Jaboatão)", disse Cláudio Neto.

Comentários

Últimas notícias