COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Coronavírus: gripe predomina entre os casos descartados de covid-19 em Pernambuco

Dado da SES reforça a importância de a população participar da campanha nacional de vacinação contra influenza, que começa nesta segunda-feira para os idosos e profissionais de saúde

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 21/03/2020 às 22:33
Notícia
ERIKA SANTELICES/AFP
Uso de álcool gel, para higiene das mãos, é uma das formas de prevenção do adoecimento por vírus respiratórios - FOTO: ERIKA SANTELICES/AFP
Leitura:

Cerca de 17% dos 276 casos que foram descartados para o novo coronavírus, em Pernambuco, apresentaram resultado de teste laboratorial positivo para os vírus da gripe: 6,5% para influenza A (H3N2), 4% para influenza A (H1N1) e 6,2% para influenza B. O dado é da Secretaria Estadual de Saúde (SES), que divulgou novo boletim sobre coronavírus na tarde deste sábado (21). Nas últimas 24 horas, o Estado confirmou mais dois casos da doença, passando para 33 confirmações (destes, cinco estão hospitalizados; os outros 25 estão em isolamento domiciliar e 3 estão curados). Ao todo, são 630 casos notificados, sendo que 276 já foram descartados. Outros 318 casos estão em investigação. 

Leia também: Coronavírus: "Pernambuco tem que parar; tem que fechar tudo mesmo", alerta médica epidemiologista

Ainda segundo a SES, 79% dos casos descartados de covid-19 apresentaram resultado negativo para qualquer vírus respiratório, incluindo o novo coronavírus. Esse dado reforça que os vírus da gripe (H1N1, H3N2 e o influenza B) são os que mais têm circulado quando se analisa a vigilância dos vírus respiratórios no Estado. O cenário só reforça a importância de a população participar da campanha nacional de vacinação contra influenza, que começa nesta segunda-feira (23). 

Leia também: Brasil tem 1.128 casos confirmados de coronavírus com 18 mortes; País vai adquirir 5 milhões de testes rápidos

Na primeira fase, a estratégia vai beneficiar idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde. Neste momento inicial, Pernambuco tem uma população de 1.148.115 de pessoas a ser imunizadas. O objetivo da

antecipação é proteger os pernambucanos contra os três vírus da influenza - A(H1N1), A(H3N2) e B, evitando adoecimentos e, consequentemente, o impacto nos serviços de saúde neste momento da ocorrência de casos do novo coronavírus. 

Leia também: Em tempos de coronavírus, veja locais e esquema de vacinação contra gripe no Recife

"É o único momento em que vamos pedir para que pessoas com mais de 60 anos saiam de casa. É fundamental vacinarmos esse público, já que alguns casos inicialmente suspeitos para a covid-19, na verdade positivaram para as influenzas A(H1N1) e B em públicos que são contemplados pela campanha de vacinação. Imunizando nossa população, vamos evitar adoecimentos por essa doença e casos graves, que são aqueles que precisam de internação e podem ter risco de morte", diz o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. "Além disso, podemos reduzir a necessidade pela procura aos serviços de saúde, o que é importante neste momento em que estamos vivenciando com o novo coronavírus", acrescenta o secretário. Ele reforça que a vacina não imuniza contra a covid-19.

Para que a campanha ocorra de uma forma segura, a SES orienta que as secretarias municipais de Saúde, responsáveis pelas salas de vacina, priorizem a realização da vacinação em locais abertos. Será preciso aumentar a distância nas filas entre uma pessoa e outra (idealmente para 2 metros), disponibilizar locais para higienização das mãos ou ofertar dispensadores com álcool em gel para facilitar a higienização das mãos dos profissionais e da população, ampliar frequência de limpeza de pisos, corrimãos, maçanetas e banheiros dos locais de vacinação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias