COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Com criação de política de saúde para moradores de rua, Recife promete vacinação contra covid-19 desse público

Atualmente, o município possui mais de 1,7 mil pessoas em situação de rua cadastradas

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 04/05/2021 às 17:12
Notícia
ANDRÉA RÊGO BARROS/PCR
Primeiras ações previstas, a partir da publicação da Política Municipal de Atenção Integral à Saúde da População em Situação de Rua, serão a vacinação da população em situação de rua contra covid-19 e gripe - FOTO: ANDRÉA RÊGO BARROS/PCR
Leitura:

O Recife se tornou a primeira capital brasileira a implementar a Política Municipal de Atenção Integral à Saúde da População em Situação de Rua (PSR). As primeiras ações previstas incluem a vacinação desse público contra covid-19 e gripe. As Secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos estão montando planos estratégicos para alcançar de forma mais assertiva as pessoas que estejam nesses grupos prioritários. 

O documento dessa política, recém-publicado no Diário Oficial do Município, traz uma série de definições que norteiam a preparação da rede municipal de saúde para garantir o acesso dessa população ao Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, o município possui mais de 1,7 mil pessoas em situação de rua cadastradas.  

Para vacinação contra a covid-19 da população em situação de rua, uma das definições estratégicas de imunização, segundo a prefeitura, é a adequação do Conecta Recife para cadastro e agendamento de vacinação para esse grupo. Com essa adaptação, haverá espaço para informação específica de sua condição de rua, além da desobrigatoriedade do preenchimento do CPF. Também serão montadas salas de vacinação específica para essa população, visando minimizar a exposição da população, maior captação e cobertura do público específico.

“Um dos princípios básicos do SUS é o da equidade, que visa garantir que toda pessoa possa ter acesso ao serviço de saúde de forma igualitária e de acordo com as suas necessidades. Ser a primeira capital do País a implementar uma política específica para a população em situação de rua mostra o compromisso da gestão em reduzir os impactos das diferenças sociais, fortalecendo a atenção à saúde de populações específicas”, destaca a secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque.  

No Recife, são cadastradas 1.722 pessoas em situação de rua. Os cuidados à saúde desse público vêm sendo feitos pelas equipes do Programa Consultório na Rua - apenas nos dois distritos sanitários que mais concentram esses indivíduos. A expectativa é que, com a implementação da Política Municipal de Atenção Integral à Saúde da População em Situação de Rua, torne-se evidente o direito que as pessoas em situação de rua têm de serem cadastradas pela Atenção Básica à Saúde e terem registro junto às Unidades de Saúde da Família, respeitando preferencialmente a referência da localidade onde elas têm maior vinculação, sem impedir que recebam atendimento nas demais unidades. Além disso, serão traçadas diretrizes de como deve ser realizada a assistência, desde o acolhimento, identificação, cadastro e o cuidado continuado, como preconizado pelo SUS. 

A Política Municipal de Atenção Integral à Saúde da População em Situação de Rua vai descrever como o município planeja, executa e monitora as ações em saúde para a população em situação de rua, uma vez que ela possui níveis de vulnerabilidade e complexidade bastante elevados. A partir de sua implantação, os oito Distritos Sanitários da cidade passarão a trabalhar com uma linha de cuidado e estratégias pensadas especificamente para assegurar que essas pessoas recebam atendimentos adequados. 

“A elaboração desta política se deu a partir da experiência das equipes de Consultório na Rua e do trabalho de articulação realizado com a rede de saúde e intersetorial, com a construção de uma linha de cuidado adequada e inclusiva, que respeite as singularidades e complexidades de cada contexto social. A experiência das equipes de Consultório na Rua trouxe novas possibilidades para este cuidado, a serem absorvidas pela rede de saúde do município e seus profissionais, modificando o olhar sobre estes sujeitos, baseados na política de humanização do SUS e seus princípios”, detalha a coordenadora da Política Municipal de Saúde da População em Situação de Rua, Aline Rosendo. 

Desde março, a Prefeitura do Recife informa que tem trabalhado para alcançar esse público e garantir a imunização contra covid-19 e gripe. No fim daquele mês, cerca de 100 idosos cadastrados nos equipamentos da Prefeitura do Recife voltados para pessoas em situação de rua receberam as doses das vacinas que protege contra o novo coronavírus. Já para a vacinação contra gripe, serão montadas salas de vacina em Centros POPs e no Abrigo Noturno, além da imunização volante .

Princípios da Política para População em Situação de Rua (PSR) na rede de saúde do Recife: 

- Ampliar o acesso da PSR aos serviços de saúde do SUS, garantindo às pessoas o respeito e a prestação de serviços de saúde com qualidade e resolução de suas demandas e necessidades 

- Qualificar a rede de serviços do SUS para a atenção e o cuidado integral à saúde da PSR

- Promover iniciativas voltadas à redução de riscos e oferecer atenção aos problemas decorrentes das singularidades que a vivência nas ruas oferece 

- Definir estratégias para reduzir a morbidade e a mortalidade da PSR 

- Oferecer atenção e cuidado à saúde das mulheres, garantindo os direitos sexuais e reprodutivos no âmbito do SUS 

- Ofertar atenção integral na rede de serviços do SUS para a PSR nas Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), especialmente com relação ao HIV, à AIDS, a Sífilis e às hepatites virais; doenças Infectocontagiosas, especialmente com relação ao Tuberculose e Hanseníase 

- Reduzir os problemas relacionados à saúde mental, álcool e outras drogas, atuando na prevenção, promoção e recuperação da saúde, na perspectiva da redução de danos

 

Comentários

Últimas notícias