COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Explosão de casos de diabetes faz especialistas alertarem que doença 'está saindo do controle'

No mundo, 537 milhões de adultos vivem atualmente com diabetes. Isso representa um aumento de 16% (74 milhões), em comparação com 2019

Cinthya Leite
Cadastrado por
Cinthya Leite
Publicado em 11/11/2021 às 11:50 | Atualizado em 12/11/2021 às 16:25
FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Em todo o mundo, mais de 90% das pessoas com diabetes têm o tipo 2 da doença - FOTO: FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Leitura:

A Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês) divulgou novos números que mostram que 537 milhões de adultos vivem atualmente com diabetes em todo o mundo. Isso representa um aumento de 16% (74 milhões), em comparação com 2019. Divulgadas antes do Dia Mundial da Diabetes, em 14 de novembro, essas novas descobertas destacam o crescimento alarmante da prevalência de diabetes em todo o mundo. Os novos números são da 10ª edição do Atlas de Diabetes da IDF, que será publicado em 6 de dezembro, e fazem a entidade alertar que a doença está saindo do controle

Leia também:

O documento da IDF mostra que a prevalência global de diabetes atingiu 10,5%, com quase metade (44,7%) dos adultos sem diagnóstico. As projeções do IDF mostram que, em 2045, 783 milhões de adultos viverão com diabetes - ou um em cada oito adultos. Isso representaria um aumento de 46%, mais que o dobro do crescimento populacional estimado (20%) no mesmo período.

Confira as principais conclusões da 10ª edição do Atlas de Diabetes da IDF

  • Um em cada dez (10,5%) adultos em todo o mundo vive atualmente com diabetes
  • Prevê-se que o número total aumente para 643 milhões (11,3%) até 2030 e para 783 milhões (12,2%) até 2045
  • Estima-se que 44,7% dos adultos que vivem com diabetes (240 milhões de pessoas) não foram diagnosticados. Mais de 4 em 5 (81%) dessas pessoas vivem em países de baixa e média renda
  • A diabetes foi responsável por cerca de US$ 966 bilhões em gastos globais com saúde em 2021. Isso representa um aumento de 316% nos últimos 15 anos
  • Excluindo os riscos de mortalidade associados à covid-19, estima-se que aproximadamente 6,7 milhões de adultos morreram devido ao diabetes ou suas complicações em 2021. Isso é mais de uma em dez (12,2%) das mortes globais por todas as causas
  • 541 milhões de adultos, ou 10,6% dos adultos em todo o mundo, têm tolerância à glicose diminuída (IGT), colocando-os em alto risco de desenvolver diabetes tipo 2

Os 100 anos da insulina 

"Enquanto o mundo marca o centenário da descoberta da insulina, gostaria de poder relatar que testemunhamos ações decisivas para reverter a maré crescente da diabetes. Infelizmente, não posso", comenta o presidente da IDF, o professor Andrew Boulton. "A diabetes é uma pandemia de magnitude sem precedentes. No início deste ano, a Organização Mundial da Saúde lançou o Global Diabetes Compact, e os Estados-Membros das Nações Unidas adotaram uma resolução que pede uma ação global coordenada urgente para combater a diabetes. Esses são marcos significativos, mas as palavras devem ser agora transformadas em ação. Se não for agora, quando?", questiona. 

O centenário da descoberta da insulina representa uma oportunidade única para refletir sobre o impacto da diabetes e destacar a necessidade urgente de melhorar o acesso ao atendimento para os milhões de afetados. Estima-se que uma, em cada duas pessoas com diabetes em todo o mundo que precisam de insulina, não tenha acesso ou não possa pagar por ela.

Diagnóstico e tratamento da diabetes 

Quando a diabetes não é detectada nem tratada de forma adequada, as pessoas com a doença correm maior risco de apresentar complicações graves e fatais, como ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, insuficiência renal, cegueira e amputação de membros inferiores. O agravamento se torna mais comum quando os pacientes não recebem tratamentos eficazes em tempo hábil. Essas complicações resultam em redução da qualidade de vida e maiores custos de saúde.

"Os novos dados confirmam a diabetes como um desafio global significativo para a saúde e o bem-estar de indivíduos, famílias e países. Muitos diabetes estão escondidos. Quase sempre que encontramos dados mais recentes e mais precisos, nossas estimativas precisam ser revisadas para cima", disse a professora Dianna Magliano, copresidente do Comitê do Atlas de Diabetes do IDF.

O impacto do estilo de vida na diabetes 

Globalmente, mais de 90% das pessoas com diabetes têm diabetes tipo 2. O aumento no número de pessoas com diabetes tipo 2 é impulsionado por uma complexa interação de fatores socioeconômicos, demográficos, ambientais e genéticos. Os principais contribuintes incluem urbanização, envelhecimento da população, diminuição dos níveis de atividade física e aumento da prevalência de sobrepeso e obesidade.

Muito pode ser feito para reduzir o impacto da diabetes. As evidências sugerem que o tipo 2 da doença pode frequentemente ser evitado, enquanto o diagnóstico precoce e o acesso a cuidados adequados para todos os tipos de diabetes podem evitar ou retardar complicações em pessoas que vivem com a doença.


Comentários

Últimas notícias