PANDEMIA

Anvisa afirma que não foi consultada sobre ampliação de doses de reforço contra a covid-19, diz veículo

"Antes de incorporar a dose de reforço das vacinas, países como Estados Unidos, Canadá, Indonésia, Grã-Bretanha, Israel, membros da Comunidade Europeia e outros submeteram a estratégia à avaliação prévia das suas autoridades reguladoras", declarou a Anvisa

Julianna Valença
Cadastrado por
Julianna Valença
Publicado em 16/11/2021 às 17:43 | Atualizado em 16/11/2021 às 17:43
NE10
Vacinação covid-19. - FOTO: NE10
Leitura:

Na tarde desta terça-feira (16), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu uma nota na qual comentou a decisão que foi emitida pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a ampliação da terceira dose de reforço contra a covid-19 a todos os maiores de idade. No entanto, aos portais CNN E UOL, a Anvisa afirmou que "não foi consultada sobre a ampliação da dose de reforço para todas as pessoas maiores de 18 anos".

>> Covid-19: Ministério da Saúde reduz intervalo e libera dose de reforço da vacina para toda população adulta

Em nota, o órgão diz reconhecer e estimular os movimentos que visam a ampliação da vacinação contra à covid-19 no Brasil. Além também, de acreditar que a decisão sobre dose de reforço “deve considerar o cenário epidemiológico, os estudos de efetividades, a circulação das cepas variantes e a segurança das vacinas, bem como uma efetiva estratégia de monitoramento das reações adversas e captação de sinais de interesse para a farmacovigilância”.

“Antes de incorporar a dose de reforço das vacinas, países como Estados Unidos, Canadá, Indonésia, Grã-Bretanha, Israel, membros da Comunidade Europeia e outros submeteram a estratégia à avaliação prévia das suas autoridades reguladoras. Primariamente, a terceira ou dose de reforço foi indicada para pessoas com sistema imunológico enfraquecido, idosos e profissionais de saúde”, informou a Agência.

Vacinas

Ainda segundo a Agência reguladora brasileira, dentre as vacinas utilizadas no País, apenas a Pfizer solicitou alteração do esquema vacinal. “O atual esquema aprovado em bula prevê duas doses da vacina. O pedido apresentado à Anvisa prevê a aplicação de uma terceira dose. Este está em análise e pendente de complementação de dados pelo laboratório para que a análise tenha prosseguimento”, declarou.

A dose de reforço da Janssen - imunizante aplicado em dose única em todo mundo - foi autorizada por agências reguladoras americanas, podendo ser administrada com no mínimo dois meses após a conclusão do regime primário em cidadãos maiores de 18 anos. “Segundo a Janssen, a previsão é que até a próxima semana a empresa entregue os estudos para Anvisa sobre a eficácia e segurança da dose reforço da sua vacina”, informou o órgão.

Comentários

Últimas notícias