COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Surto: Camaragibe é mais um município que investiga lesões misteriosas que causam coceira na pele

Até agora, Camaragibe registrou 60 casos de lesões cutâneas misteriosas

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 19/11/2021 às 10:58
FREEPIK/IMAGEM ILUSTRATIVA
Os sinais e sintomas mais comuns são lesões na pele e coceira - FOTO: FREEPIK/IMAGEM ILUSTRATIVA
Leitura:

A Prefeitura de Camaragibe, por meio da Secretaria de Saúde, investiga a notificação de 60 casos de lesões cutâneas a esclarecer, manifestadas em moradores que buscaram atendimento no Hospital Aristeu Chaves, principal emergência do município. A informação foi divulgada, nesta sexta-feira (19), pela prefeitura. Na última quinta-feira (18), o Recife já havia confirmado a mesma ocorrência em 79 moradores da capital pernambucana

Leia também: Surto: no Recife, hospital particular notifica 6 casos de lesões de pele misteriosas

A Vigilância em Saúde de Camaragibe está realizando um estudo clínico epidemiológico, com o levantamento de informações acerca de diagnósticos, caso a caso, dos pacientes atendidos na unidade.

Leia também: Recife investiga surto de lesões de pele misteriosas; veja o que se sabe

"Além disso, a Vigilância realiza um estudo entomológico para identificação de possíveis insetos ou artrópodes que estejam causando as intercorrências. A água da rede de abastecimento nas residências também está sendo coletada para análises", diz, em nota, a prefeitura, que ainda ressaltou que as unidades básicas de saúde realizaram, nos pacientes, testes de covid-19 e sorológico para arboviroses.

O diretor em Vigilância em Saúde de Camaragibe, Geraldo Vieira, informou que, na cidade, os primeiros casos surgiram, há 15 dias, no bairro de Ostracil, em uma escola municipal. "A nossa equipe de vigilância ambiental foi até o local e iniciou a investigação." Depois, pessoas de localidades próximas, como Aldeia e Tabatinga, começaram a apresentar os sinais e sintomas.

"A maioria são adultos. O quadro dura pouco tempo, de dois a três dias, principalmente se depois que o paciente recebe assistência e inicia uso de antialérgico (sempre com orientação médica). Em outras pessoas, os sintomas são autolimitados (sem exigir tratamento e se resolve espontaneamente)", explica Geraldo Vieira. Ele acrescenta que algumas lesões parecem ter sido desencadeadas por picadas de insetos, mas ressalta que ainda é cedo para afirmar a causa do problema. "Também investigamos se as lesões na pele podem ter relação com água ou plantas", complementa. 

Comentários

Últimas notícias