PANDEMIA

Covid-19: falta de vacinação predomina entre as mortes e hospitalizações em Pernambuco

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), apenas 25% dos óbitos (dois pacientes) apresentavam o quadro vacinal completo contra a covid-19

Lucas Moraes
Cadastrado por
Lucas Moraes
Publicado em 27/06/2022 às 20:58 | Atualizado em 27/06/2022 às 21:41
BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Campanha de Vacinação Contra Influenza (Gripe) no Shopping Riomar. - FOTO: BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Leitura:

A falta de vacinação contra a covid-19 é predominante entre os casos de hospitalização e morte relacionados à doença em Pernambuco. De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), dentre oito óbitos confirmados entre o fim de maio e início de junho deste ano, apenas dois pacientes tinham o esquema vacinal completo - embora, do total, seis já tivessem mais de 60 anos. Já em relação às hospitalizações, dos 87 pacientes, 63 deles (73%) não estavam com vacinação em dia - no referido período. 

O novo levantamento da SES-PE foi divulgado nessa segunda-feira (27) e revela que dos pacientes que evoluíram para óbito, um (12,5%) tinha apenas uma dose da vacina; dois (25%) estavam apenas
com o esquema básico (duas doses); três (37,5%) tinham três doses da vacina e apenas dois (25%) tinham as quatro doses.

Dos oito pacientes que vieram a morrer, cinco não haviam tomado todas as doses da vacina indicadas para a sua faixa etária. Segundo a secretaria, seis dos oito pacientes estavam na faixa etária acima dos 60 anos, um dos grupos mais suscetíveis para complicações pela doença.

Já em relação aos 87 pacientes que precisaram ser hospitalizados após infecção pelo novo coronavírus no mesmo período, 63 (73%) não estavam com a vacinação em dia.

Segundo a Secretaria de Saúde, 19 pacientes (21,8%) sequer tinham tomado uma dose da vacina contra o novo coronavírus; seis (6,9%) tinham apenas uma dose registrada nos sistemas de informação e 17 (19,5%) tinham apenas o esquema vacinal básico (duas doses).

Dos 13 pacientes que tomaram todas as doses necessárias, dez tinham comorbidades associadas. Todos tinham mais de 65 anos.

"Os dados e estudos apontam que, com o tempo, o nível de anticorpos cai após a vacinação. Nos idosos, há, ainda, outra questão que impacta a proteção: a imunossenescência, ou seja, o envelhecimento imunológico do organismo. O levantamento reforça a importância da imunização de reforço e acende o sinal de alerta para aqueles pernambucanos que estão com a vacinação indicada atrasada. Só assim aumentamos a quantidade de anticorpos no organismo, garantindo, novamente, uma proteção mais robusta”, ressalta a secretária executiva de Vigilância em Saúde da SES-PE, Patrícia Ismael.

A Secretaria Estadual de Saúde registrou, nesta segunda-feira (27/06), 373 casos da covid-19. Entre os
confirmados hoje, quatro (1%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 369 (99%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 967.075 casos confirmados da doença, sendo 58.802 graves e 908.273 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Também foram contabilizados quatro óbitos (3 femininos e 1 masculino), ocorridos entre 11/05/2021 e
28/01/2022. As novas mortes são de pessoas residentes do município de Camocim de São Félix (1), Escada (1), Orobó (1) e Panelas (1). Com isso, o Estado totaliza 21.849 mortes pela Covid-19. Os pacientes tinham entre 69 e 86 anos.

Por outro lado, graças à vacinação, menos de 20% dos pacientes internados nos leitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) da rede estadual de Saúde estão com a covid-19, segundo levantamento realizado pela SES, na semana passada, com 700 pessoas internadas nos leitos destinados a fase mais grave das doenças respiratórias.

Mesmo com a positividade para a doença aumentando, o número demonstra o impacto da vacinação na redução de casos graves.

Cabe destacar que o Estado tem ocupação média dos leitos de UTI, das unidades de saúde destinadas à Srag, de 85%. Atualmente, há uma oferta menor de leitos, quando comparado ao período mais crítico da pandemia.

No Estado, há 1.473 leitos destinados à Síndrome Respiratória Aguda Grave. Desses, 695 leitos são de UTI. O número representa cerca de 30 leitos a mais que no dia 22 de junho. A ocupação média na data era de 83%. 

Segunda dose de reforço a partir dos 40 anos

Desde a última semana, Pernambuco autorizou e iniciou a aplicação da quarta dose (ou segunda dose de reforço) da vacina contra a covid-10 em pessoas a partir dos 40 anos de idade. Agora, toda a população que tem quatro meses de aplicação da primeira dose de reforço já pode procurar os pontos de vacinação dos municípios para tomar o segundo reforço.

Comentários

Últimas notícias