Dicas e informações de viagens, férias e turismo
Turismo de Valor

Descubra dicas de viagem e roteiros para as férias, além dos destinos e atrações que estão em alta no turismo.

GUIA

Em terra, no mar e no ar, saiba o que fazer em Porto de Galinhas nesta temporada

Confira os novos e tradicionais passeios oferecidos no balneário do Litoral Sul de Pernambuco

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 04/12/2020 às 14:00
DIVULGAÇÃO
Piscinas naturais são ainda mais bonitas vistas do alto em Porto de Galinhas - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Em tempos de “normalidade”, Porto de Galinhas, em Ipojuca, recebe mais de um milhão de turistas por ano. A maioria vem ao mais famoso balneário do Litoral Sul de Pernambuco atraída pela imagem das piscinas naturais de águas mornas repletas de peixinhos coloridos. Os arrecifes são mesmo um ícone imbatível, mas há muito mais o que ver e fazer no destino, que todos os anos se reinventa para manter seu lugar de destaque no turismo nacional e surpreender mesmo aqueles visitantes mais fiéis.

Confira algumas das opções de passeio, dentro e fora d'água, disponíveis nesta temporada. 

MONA LISA DOURADO/JC
Em algumas piscinas naturais, como a do Aquário, o mergulho só é permitido quando a maré começa a encher - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Fragilidade dos corais exige cuidados dos visitantes - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Peixinhos coloridos são a sensação nas piscinas naturais - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Passeio de buggy inclui passagem pela mata do Cupe - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Praia da Gamboa integra percurso de buggy - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Parada na Ribeira permite se refrescar e aprender sobre a história do tráfico negreiro na região - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Trilhas de Porto de Galinhas fornece as bicicletas adequadas para o percurso - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Rota do Pedal inclui belos trechos dentro da mata atlântica - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Em Maracaípe, há área para camping e motor home - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Associação dos Jangadeiros de Porto de Galinhas conta com 84 credenciados - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Paramotor proporciona visão completa de Porto - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Aferição de temperatura é um dos protocolos antes de embarque em jangada - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Sempre preste atenção se o buggy tem o selo que atesta o credenciamento pela prefeitura - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Ingressos estão à venda no quiosque da Associação dos Jangadeiros - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Jangadas levam até seis pessoas por vez - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Praia da Gamboa é uma das percorridas no passeio de bug - MONA LISA DOURADO/JC
MONA LISA DOURADO/JC
Jangadas saem desde duas horas antes até duas horas depois de ponto mínimo da maré - MONA LISA DOURADO/JC
DIVULGAÇÃO
Passeio de buggy permite conhecer praias de ponta a ponta - DIVULGAÇÃO
MONA LISA DOURADO/JC
Piscininha em formato de mapa do Brasil é a mais concorrida de Porto de Galinhas - MONA LISA DOURADO/JC
BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Outeiro exibe marcas do tempo e da falta de manutenção - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Trilha do Coração é para os românticos e dispostos - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Pôr do sol revigora depois de percorrer de 15 a 35 km - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Baobá é última parada do passeio de bike - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Eco Associados recebe grupos de escola para falar sobre preservação ambiental - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Porto de Galinhas é um dos principais pontos de desova de tartarugas-marinhas do Litoral Sul - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
O que fazer em Porto de Galinhas. - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Soltura de filhotes de tartarugas-marinhas é uma das atividades mais emocionantes da Eco Associados - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Acompanhamento do público durante a soltura por enquanto está suspensa, para evitar aglomerações - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Mapa mostra Rota do Pedal - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Contato com a natureza, atividade física e conhecimento histórico-geográfico estão no 'pacote' de passeio de bike - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Visita a monumentos históricos está no roteiro - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Visitante é convidado a adentrar matas, margear rios e subir morros, tudo de bike - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Voo de paramotor custa R$ 300 - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Piscinas naturais são ainda mais bonitas vistas do alto em Porto de Galinhas - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Mergulho de batismo permite submersão com segurança - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Pet Zoo abriga 18 espécies de aves e répteis - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Arara Canindé é a mais simpática do zoo - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Jiboias estão entre atrações do Pet Zoo - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Dragão Barbudo é dos mais curiosos - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Píton Molurus é uma das espécies de cobras do zoo - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Iguana parece posar para as fotos - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Lagarto Teiú parece assustador, mas interage com visitantes - DIVULGAÇÃO

Para aprender a preservar o meio ambiente

Um dos primeiros pontos que todo turista deveria visitar em Porto de Galinhas é o Museu da Tartaruga, mantido pela ONG Eco Associados, na Rua Caraúna (Praça 4).

O espaço funciona todos os dias, das 9h às 12h e das 14h às 17h, desempenhando um trabalho de educação ambiental que ensina a respeitar a preservar o meio ambiente, sobretudo as espécies ameaçadas, como as tartarugas marinhas.

 

Foto: Divulgação/ONG EcoAssociados
Museu da Tartaruga fica na Rua Caraúna, na Praça 4 - Foto: Divulgação/ONG EcoAssociados

O acervo contempla desde cascos, ovos e filhotes a tartarugas empalhadas.

Voluntários guiam a visita, explicando como transitar pelas praias atento aos sinais de presença dos animais. Em Porto de Galinhas, está um dos principais pontos de desova do Litoral Sul de Pernambuco.

DIVULGAÇÃO
Soltura de filhotes de tartarugas-marinhas é uma das atividades mais emocionantes da Eco Associados - DIVULGAÇÃO

Para sensibilizar turistas e moradores, a ONG também costuma comunicar em suas redes sociais sobre os dias e horários de soltura dos filhotes, que pode ser acompanhada pelo público. Não há quem não se emocione com a corrida das tartaruguinhas rumo à liberdade no mar. Em tempos de pandemia, os avisos estão suspensos para evitar aglomerações.

DIVULGAÇÃO
Acompanhamento do público durante a soltura por enquanto está suspensa, para evitar aglomerações - DIVULGAÇÃO

O valor do ingresso no museu, de R$ 20 (R$ 10 meia), é revertido para as atividades de pesquisa e preservação. "Além do aprendizado e do lazer, a contribuição ajuda a manter as riquezas naturais do nosso destino", destaca a bióloga responsável pelo espaço, Vivian Chimende.

DIVULGAÇÃO
Porto de Galinhas é um dos principais pontos de desova de tartarugas-marinhas do Litoral Sul - DIVULGAÇÃO

Segundo a especialista, a Eco Associados ainda monitora os animais mortos e debilitados, esses últimos recolhidos para tratamento e reabilitação. O projeto também forma estudantes, que participam do programa de voluntariado.

Precisa de mais argumentos para fazer uma visita e ajudar a iniciativa?

 

Rolê de bike foge do convencional 

A principal novidade desta temporada 2020/2021 em Porto de Galinhas escapa da tradicional dobradinha sol e mar. Sob duas rodas, o visitante é convidado a adentrar matas, margear rios e subir morros para descobrir outros pontos igualmente fascinantes do balneário, longe do burburinho da Vila.

DIVULGAÇÃO
Contato com a natureza, atividade física e conhecimento histórico-geográfico estão no 'pacote' de passeio de bike - DIVULGAÇÃO

O passeio é ideal para quem gosta de juntar em um só "pacote" contato com a natureza, atividade física e conhecimento histórico-geográfico. "A emoção é sempre garantida", brinca Brian Alves. Entusiasta do cicloturismo, ele atua como microempreendedor, tentando viabilizar a Rota do Pedal em Ipojuca, com a recém-criada @TrillhasPortodeGalinhas.

De acordo com o preparo físico dos participantes, os percursos oferecidos variam de 15 a 35 quilômetros, sempre com duração máxima de três horas.  

MONA LISA DOURADO/JC
Trilhas de Porto de Galinhas fornece as bicicletas adequadas para o percurso - MONA LISA DOURADO/JC

Em geral, os ciclistas saem do Centro em direção ao Loteamento Coqueiral e seguem pela mata atlântica, observando a diversidade da fauna e da vegetação que brota do mangue.

Cerca de 3,5 km depois, a primeira parada é na Ribeira, onde o Rio Maracaípe se alarga, refletindo os tons de verde dos arbustos às suas margens.

MONA LISA DOURADO/JC
Parada na Ribeira permite se refrescar e aprender sobre a história do tráfico negreiro na região - MONA LISA DOURADO/JC

A pausa providencial para fotos e um banho refrescante, para quem já começa a sentir os efeitos do calor, também é recheada de informação. Naquele local, que compõe a Trilha dos Escravizados, ocorriam o embarque e desembarque de pessoas trazidas dos vários países africanos para trabalhar de forma forçada nos engenhos da região. 

A aula de história continua alguns quilômetros de subida mais adiante, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Outeiro, construída no século 17 pelos portugueses. Pertencente à ordem dos franciscanos, a construção é simples e exibe os sinais da deterioração e abandono do patrimônio, infelizmente comuns mesmo nos destinos turísticos consagrados do País. 

BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Outeiro exibe marcas do tempo e da falta de manutenção - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO

De qualquer forma, a paisagem compensa o esforço em chegar até ali. A 137 metros acima do nível do mar, o Mirante do Outeiro proporciona uma vista única, que vai do Cabo de Santo Agostinho à Ilha de Santo Aleixo. 

De lá, para os mais dispostos, o trajeto prossegue até a Trilha do Coração, assim chamada por causa do traçado sugestivo do caminho. Com agendamento prévio, também é possível visitar a casa de farinha mantida há pelo menos cinco gerações por uma família de descendentes de vítimas do tráfico negreiro no período colonial. Até hoje mantém-se ali a cultura de se fazer a tapioca de forma mais tradicional, no antigo forno a lenha. Quem passa pela propriedade não pode deixar de provar a iguaria.  

BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Trilha do Coração é para os românticos e dispostos - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO

Seja qual for o roteiro escolhido, o percurso termina no baobá que fica no alto de um morro entre Porto de Galinhas e Maracaípe. Abrigado pela árvore centenária, resta assistir ao pôr do sol e garantir a volta para casa com as energias renovadas.  

BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO
Pôr do sol revigora depois de percorrer de 15 a 35 km - BRIAN ALVES/DIVULGAÇÃO

Os passeios custam R$ 100 por pessoa, com direito a bicicleta adequada ao nível de dificuldade, capacete, acompanhamento do guia, fotos e equipamentos de segurança e manutenção, para casos de necessidade. Neste período ainda de pandemia, as saídas são realizadas apenas com grupos fechados de até seis ciclistas do mesmo convívio social.

DIVULGAÇÃO
Visitante é convidado a adentrar matas, margear rios e subir morros, tudo de bike - DIVULGAÇÃO

Mesmo para quem não pedala com regularidade, o percurso de 15 km é tranquilo, porque a maior parte das subidas é suave e permite paradas para descanso.

Apesar das belezas naturais e da importância histórica da região, chama a atenção a falta de manutenção e sinalização no percurso, usado diariamente pelas comunidades que vivem no entorno. Segundo a Secretária de Turismo de Ipojuca, Carol Vasconcelos, a estruturação das Rotas do Pedal e dos Escravizados está entre as prioridades da próxima gestão da prefeita da cidade, Célia Sales, reconduzida ao cargo nas últimas eleições municipais. A providência é necessária tanto para a diversão dos visitantes, como principalmente para facilitar o deslocamento dos moradores.   


Emoção nas alturas

Do alto, as praias de Porto de Galinhas ganham contornos e cores ainda mais bonitos. É o que se comprova no voo em paramotor, que decola de Maracaípe e atinge 150 metros de altura, o equivalente a um edifício de 30 andares.

DIVULGAÇÃO
Voo de paramotor custa R$ 300 - DIVULGAÇÃO

A sensação de liberdade pode ser experimentada por qualquer aventureiro a partir de 18 anos, inclusive pessoas com deficiência. Na companhia do instrutor Sérgio Araújo, o passageiro sobrevoa as piscinas naturais e tem um visão privilegiada do litoral.

O passeio dura de nove a 15 minutos e custa R$ 300. Geralmente, a reserva só é confirmada no dia anterior ao voo, quando é possível ter uma noção mais exata das condições do clima e da velocidade do vento.

MONA LISA DOURADO/JC
Paramotor proporciona visão completa de Porto - MONA LISA DOURADO/JC

Quem se animar e quiser fazer o curso completo para aprender a voar de forma autônoma, paga R$ 5 mil. A formação dura três meses. Mais informações: 99481-3949.

 

Um zoológico inusitado

Os bichos gostam tanto das visitas que fazem até pose folgada, como a iguana da foto. Com uma proposta de educação ambiental, o Zoológico Pet Silvestre permite a interação com animais que já não podem ser reintegrados à natureza.

DIVULGAÇÃO
Pet Zoo abriga 18 espécies de aves e répteis - DIVULGAÇÃO

O espaço é recente. Abriu em dezembro de 2019, depois da experiência bem-sucedida da primeira unidade, em Maragogi (AL), inaugurada em 2017. O zoo abriga 18 espécies de aves e répteis, entre elas araras, corujas, jacaré-de-papo-amarelo, lagartos, cágados, jabutis e jiboias, que despertam curiosidade e arrancam risadas de crianças e adultos.

DIVULGAÇÃO
Iguana parece posar para as fotos - DIVULGAÇÃO

Para 2021, a expectativa é aumentar o acervo para 60 espécies, incluindo mamíferos.

A entrada custa R$ 50 (R$ 25 meia). O Pet Silvestre fica na Rodovia Marcílio Fragoso, s/n, e funciona de terça a domingo, das 9h às 16h.

Mergulho na diversidade marinha

Com máscara e snorkel, já é possível curtir muito das belezas subaquáticas de Porto nas piscinas naturais repletas de peixinhos coloridos. Mas quem quiser uma experiência literalmente mais profunda pode aproveitar o cenário e a transparência da água para se aventurar no mergulho de cilindro.

DIVULGAÇÃO
Arraias e outros animais marinhos são vistos em mergulho - DIVULGAÇÃO

Empresas como Aicá (98792-3127), Ganesh (99627- 3638) e Abissal (99744-0909) oferecem programas de batismo, como é chamado o mergulho para iniciantes, que permite descer até 12 metros. Antes, é preciso fazer uma breve aula teórica e um treinamento na piscina ou em área rasa da praia.

Foto: Divulgação/Ganesh Megulhos
Antes do batismo, mergulhadores fazem treinamento em águas rasas - Foto: Divulgação/Ganesh Megulhos

Devidamente adaptado, você até esquece o equipamento e se sente o próprio Bob Esponja. Embaixo d’água, o encontro com arraias, tartarugas e outras espécies marinhas é de uma paz que só o mar proporciona. Os passeios custam de R$ 120 a R$ 330 e o tempo submerso dura, em média, 40 minutos.

A melhor panorâmica

Com 14 metros de altura, o Farol Turístico de Porto de Galinhas é daqueles atrativos difíceis de ignorar, em especial à noite, quando ganha iluminação multicolorida.

Divulgação
Farol de Porto permite visão panorâmica a 14 metros de altura - Divulgação

Inaugurado no fim de 2019, o equipamento proporciona uma visão em 360 graus do balneário, incluindo as piscinas naturais e o corredor de coqueiros a caminho de Maracaípe.

Divulgação
Acesso à plataforma do farol é feito por elevadores - Divulgação

O acesso, por elevadores, custa R$ 10 (R$ 5 a meia entrada), com direito a 20 minutos de permanência. Para garantir o distanciamento social, somente dez visitantes por vez são permitidos na plataforma, que tem 2 metros de largura e normalmente comporta até 20 pessoas.

Funciona das 11h às 18h, na Galeria Caminho da Praia (Av. Beira Mar, nº 32).

Praias de ponta a ponta

Embora há muitos anos já não seja permitido trafegar pela areia, o que deveria ser lei em qualquer praia, o passeio de buggy continua sendo dos mais populares em Porto.

De “ponta a ponta”, percorre-se as praias de Gamboa, Muro Alto, Cupe, da Vila e de Maracaípe, até o pontal. Mesmo para quem já conhece bem o destino, vale a pena curtir de um ângulo diferente, deixando de lado a preocupação em dirigir e achar estacionamento. Sem falar que há trechos delicinhas em meio ao coqueiral e à Mata Atlântica onde carro comum não costuma passar.

DIVULGAÇÃO
Passeio de buggy permite conhecer praias de ponta a ponta - DIVULGAÇÃO

O tour dura de quatro a seis horas, com paradas para banhos, cervejinhas e quetais em cada uma das praias. O valor vai de R$ 250 a R$ 300 para até quatro clientes. Em tempos de pandemia, o uso de máscara é obrigatório e apenas pessoas do mesmo grupo de convívio devem compartilhar o veículo, que pode ser contratado nos hotéis e pousadas ou diretamente na Associação dos Bugueiros, no fim do calçadão da Rua das Piscinas Naturais. Fique de olho: os credenciados pela prefeitura têm placa vermelha e selo oficial.

MONA LISA DOURADO/JC
Sempre preste atenção se o buggy tem o selo que atesta o credenciamento pela prefeitura - MONA LISA DOURADO/JC

De jangada, rumo às piscinas

Entra temporada, sai temporada, um clássico não perde a majestade em Porto de Galinhas: o passeio de jangada para as piscinas naturais.

MONA LISA DOURADO/JC
Jangadas saem desde duas horas antes até duas horas depois de ponto mínimo da maré - MONA LISA DOURADO/JC

De domingo a domingo, lá estão elas a postos com suas velas coloridas, prontas a deslizar nas águas tranquilas em direção aos corais.

O ingresso pode ser adquirido das 8h às 17h, no quiosque da Associação dos Jangadeiros, localizado quase em em frente ao pórtico principal da Vila, na Rua Esperança 178-242. Desde o dia 1/12, o valor foi reajustado para R$ 40. Inclui a máscara e snorkel. 

MONA LISA DOURADO/JC
Ingressos estão à venda no quiosque da Associação dos Jangadeiros - MONA LISA DOURADO/JC

Para programar o passeio, é preciso ficar de olho no movimento da maré. As saídas começam duas horas antes do ponto mínimo da vazão e vão até duas horas depois (a cada dia, a maré começa a vazar/encher entre 30 e 45 minutos mais tarde do que no dia anterior).

Com a ficha na mão, basta descer à praia e encontrar o coordenador dos passeios, que encaminha cada grupo à jangada da vez. As embarcações levam até seis passageiros.

MONA LISA DOURADO/JC
Aferição de temperatura é um dos protocolos antes de embarque em jangada - MONA LISA DOURADO/JC

Durante a pandemia, antes do embarque, é feita a aferição da temperatura e o uso de máscara durante a navegação é obrigatório. Também há álcool em gel disponível a bordo e os barcos são higienizados a cada viagem.

Da beira-mar até os arrecifes, são apenas 100 metros de distância percorridos em menos de 10 minutos. Ao desembarcar, preste atenção na demarcação com cordas e não ultrapasse as áreas permitidas, onde dá para caminhar e ver de cima os peixinhos coloridos.

MONA LISA DOURADO/JC
Piscininha em formato de mapa do Brasil é a mais concorrida de Porto de Galinhas - MONA LISA DOURADO/JC

Geralmente, o próprio jangadeiro guia o grupo. O ponto mais concorrido é a famosa piscininha em formato de mapa do Brasil. Ali a visita é apenas para contemplação e fotos, porque o banho é proibido.

Em algumas outras piscinas, como a do Aquário, o mergulho só está liberado quando a maré começa a subir, para evitar que poluentes como o protetor solar desprendido da pele dos turistas fiquem represados e se fixem nos corais. Mesmo na maré mais baixa, no entanto, sempre há locais em que é possível nadar livremente. 

MONA LISA DOURADO/JC
Em algumas piscinas naturais, como a do Aquário, o mergulho só é permitido quando a maré começa a encher - MONA LISA DOURADO/JC

Quem não quiser pagar pelo passeio pode ir às piscinas de graça com os grupos guiados a pé por condutores da prefeitura. Basta se dirigir à passarela de acesso, mais à direita do pórtico principal, retirar uma pulseirinha e aguardar a vez. Por causa das restrições impostas pela covid-19, o volume de visitantes neste momento está restrito a 100 por dia.

Indo ou não de jangada, vale lembrar que caminhar nos corais, apesar de comum e ainda que em trechos restritos, não é uma atitude ecologicamente correta, porque mata os organismos vivos que habitam aquele ecossistema.

Comentários

Últimas notícias