Cultura Popular

Inscrições para o 15º Concurso de Patrimônio Vivo de Pernambuco seguem até o próximo dia 20

Interessados podem propor candidaturas na Fundarpe. Serão escolhidos seis novos Patrimônios

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 11/03/2020 às 14:35
Notícia
HEUDES REGIS/ACERVO JC IMAGEM
Maracatu Cambinda Brasileira recebeu título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, em cerimônia no Teatro de Santa Isabel, em 2019 - HEUDES REGIS/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Até o próximo dia 20 estão abertas as inscrições para o 15º Concurso de Registro de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Coordenado pelo governo do Estado e coordenado pela Secretaria de Cultura, o concurso reconhece o trabalho de homens, mulheres e grupos que enriquecem nossa arte, nossa cultura e nos reaproximam da nossa identidade. Desde que foi criado, o concurso já diplomou 63 Patrimônios Vivos. Desses, 15 já faleceram, mas a lista cresce ano a ano.

Para se candidatar é preciso entregar proposta presencialmente ou por correspondência à Fundarpe (Gerência Geral de Preservação do Patrimônio Cultural - Rua da Aurora, 463/469, Boa Vista, Recife-PE, 50050-000). As candidaturas, sejam de pessoas físicas ou de grupos, não podem ser feitas pelos próprios interessados. É necessário que uma entidade proponente apresente. Pode ser a Assembleia Legislativa de Pernambuco, as câmaras municipais de vereadores e as entidades sem fins lucrativos que atuem no Estado a mais de dois anos.

Dentre os inscritos, seis novos candidatos serão escolhidos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC) e diplomados com o título de “Patrimônios Vivos de Pernambuco”. Alem do título passam a receber uma bolsa mensal vitalícia, no valor de R$ 1.600,00 (no caso de pessoa física) e R$ 3.200,00 (quando for grupo, entidade, agremiação ou associação). Os Patrimônios também passam a ter prioridade na realização de eventos promovidos pelo Estado.

A avaliação dos candidatos passa por várias etapas. A primeira é a habilitação dos documentos. Depois uma Comissão Especial de Análise vai avaliar questões como relevância do trabalho desenvolvido, idade do candidato ou tempo de existência do grupo e avaliação da carência social. Numa terceira etapa, os próprios candidatos apresentam seus trabalhos para uma plateia formada por conselheiros do CEPPC. Em seguida, o conselho dá o resultado final.

As audiências públicas com os candidatos vão acontecer entre os dias 15 e 20 de junho e a escolha dos seis novos Patrimônios Vivos em 25 e 26 de junho. A expectativa é que a diplomação ocorra na comemoração do Dia Nacional do Patrimônio Cultural, em 17 de agosto.

DISPUTA ACIRRADA

No ano passado, 62 candidatos se inscreveram para disputar o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, 60 foram habilitados e seis formam diplomados: o maracatu de baque solto Cambinda Brasileira (com 102 anos de história), o caboclinho Tribo Carijós do Recife, Mestre Saúba (brinquedos populares), Mestre Aprígio (artesanato em couro), Mestre Assis Calixto (coco) e Mestre Nado (instrumentos musicais de barro).

“É sempre uma honra e uma alegria para nós o processo de escolha dos novos Patrimônios Vivos. Pernambuco foi pioneiro na criação da lei, que hoje é uma referência para todo País, e a cada ano continuamos em busca de aprimorar. Conseguimos aumentar o número de Patrimônios escolhidos por ano de três para seis selecionados. Também já melhoramos o valor da bolsa vitalícia e desburocratizamos processos de apresentação de propostas para que eles integrem a programação de ações de Secult/Fundarpe em ciclos festivos. Nossa política para valorização dos Patrimônios Vivos é hoje uma prioridade, que se reflete na valorização cada vez maior que o Estado tem para com a nossa cultura tradicional e popular”, diz o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto.

A primeira edição do concurso foi realizada em 2005 e reconheceu os Patrimônios Vivos dos anos de 2002 a 2005. Em 2015, o concurso foi interrompido por conta de uma reestruturação do CEPPC. Com isso, os resultados de 2015 e 2016 foram apresentados em 2016 e também passou a valer o aumento do número de registrados do concurso, que passou dobrou de três para seis.

Em 2013, o Jornal do Commercio publicou o especial Pernambuco Vivo, que teve dois cadernos impressos, versão online e e-Book, além de uma exposição na Torre Malakoff, no Bairro do Recife. O projeto, idealizado pelo ex-repórter de cultura Mateus Araújo, contou as histórias de todos os Patrimônios Vivos do Estado. O trabalho teve participação de Heudes Regis (fotos, vídeos e coordenação da exposição), Ricardo Labastier (fotos), Priscila Buhr (fotos) e Ícaro Bione (design).

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias