MOVIMENTAÇÃO

Primeira edição do Leilão Trovoa em Chamas comercializa trabalhos de artistas negras e indígenas de Pernambuco

Evento com transmissão online acontece neste sábado (28) e contemplará obras de 22 artistas, impactadas pelas restrições da pandemia de covid-19

Nathália Pereira
Nathália Pereira
Publicado em 27/11/2020 às 13:45
DIVULGAÇÃO
Iza Preta será uma das artistas com trabalhos disponíveis durante o 1º Leilão Trovoa em Chamas - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Acontece neste sábado (28) a primeira edição do Leilão Trovoa em Chamas, iniciativa voltada à comercialização dos trabalhos de mulheres artistas negras e indígenas pernambucanas. Serão 22 as artistas contempladas pela união entre o Leilão em Chamas Oficial e as integrantes pernambucanas do Coletivo Nacional Trovoa, movimento de articulação de artistas, curadoras e arte educadoras. Também participa da ação o Centro Cultural A Casa de DonArlinda, que fica em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife.

O leilão foi pensando para amenizar o impacto financeiro causado pela pandemia de covid-19 - e suas consequentes restrições - a essas profissionais. Também por conta do novo coronavírus o leilão será transmitido online, a partir das 15h, ao vivo do canal do Leilão em Chamas Oficial, no YouTube.

Leia também:

>>> Héloa experimenta novas batidas no EP 'Opará na Pista'

>>> Vinícius Barros abraça pluralidades da ancestralidade negra em novo single

A organização explica que a dinâmica do leilão é simples. "Caso o trabalho não receba o lance no valor estipulado pelo autor da obra, a peça vai para o fogo. Como mestras de cerimônias aliadas, Nathê Ferreira e Rebecca França, grafiteiras e articuladoras do Trovoa, serão ciceroneadas pelo idealizador e apresentador do Leilão em Chamas Oficial, José Carbonel".

"Pensamos em gerar assim um novo mercado de arte dentro e fora da periferia, descolonizando o fazer artístico e a venda de obras de arte, significando esse dito mercado de arte que nos tira dos espaços de poder e enfraquece a nossa articulação com o capital”, aponta Carbonel.

Geralmente recebido pela casa de Dona Leide, no bairro do Totó, na zona oeste da capital, o Leilão em Chamas desta vez vai à Casa de DonArlinda, centro cultural na comunidade da Lagoinha, município de Camaragibe. O espaço é idealizado e gerido pela gestora, artista visual, realizadora audiovisual e comunicadora, Kalor, também articuladora do Trovoa.

A curadoria do leilão é de Ariana Nuala e Tayná Maísa, cujo critério de contemplação tem foco na diversidade na produção em artes visuais do Estado.

AS ARTISTAS

Participam do 1º Leilão Trovoa em Chamas Joyce Firmiano, Aline Sales, Amanda Souza, Priscilla Melo, Liz Santos, Dhuzati, Benedita Arcoverde, Rayellen Alves, Thaysa Aussuba, Karla Fagundes, Nathê, Preta Afoita, Suh Amorim, Letícia Carvalho, Edgleice Barbosa, Flô, Nefertite, Iza Preta, Micaella Alcântara, Geni de Araújo, Kalor, Aline Sales e Giselle Natália.

É possível conhecer os trabalhos das artistas nos perfis do Instagram do Leilão em Chamas Oficial (@leilaoemchamas_oficial), do MangueCrew Oficial (manguecrew_oficial), dA Casa de DonArlinda (@acasadedonarlinda) e do Trovoa (@trovoa__), além das redes das participantes.

Comentários

Últimas notícias