Streaming

Como buscar uma pessoa desaparecida? Drama virou assunto da série nacional 'Os Ausentes'

Produção original estrelada por Erom Cordeiro e Maria Flor está em cartaz no HBO Max

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 23/07/2021 às 19:10
Notícia
HBO MAX/DIVULGAÇÃO
Personagens de Maria Flor e Erom Cordeiro ajudam a encontrar pessoas desaparecidas na série 'Os Ausentes' - FOTO: HBO MAX/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Segundo dados da Polícia Civil de Pernambuco, em 2019, foram registradas 3,1 mil pessoas desaparecidas somente aqui no Estado. Em 2020, o número caiu para 2,5 mil. São dados preocupantes, existentes (e até maiores) no Brasil inteiro. E esse triste universo é retratado na ficção através da nova série nacional Os Ausentes, que estreou na plataforma de streaming HBO Max nesta quinta-feira (22).

>> 'It's a Sin', da HBO Max, aborda com seriedade e sensibilidade o início da epidemia da Aids

>> HBO Max contrata Pabllo Vittar e Luísa Sonza

>> HBO Max chega ao Brasil com Game of Thrones, Friends e mais

Com dez episódios de 45 minutos cada, a produção original da WarnerMedia Latin America protagonizada por Erom Cordeiro e Maria Flor acompanha a rotina de uma agência de investigação de pessoas desaparecidas — uma tragédia que pode atingir qualquer pessoa, de qualquer idade ou classe social, e que ocorre pelos motivos mais variados.

O Jornal do Commercio participou de uma coletiva de imprensa remota com a equipe e elenco da série para falar sobre Os Ausentes. A diretora-geral Caroline Fioratti falou um pouco do universo da trama, que se passa em São Paulo, com histórias novas a cada episódio, e totalmente gravada antes da pandemia.

"Foi um desafio imenso e maravilhoso mergulhar nesse universo que retrata São Paulo e seus submundos tão distintos. [...] Cada episódio explora um espaço diferente seus com personagens, um procedural que envolveu muita pesquisa e um número gigantesco de atores talentosos. O importante pra mim é sempre a mensagem que estamos passando para colaborar com a sociedade que aspiramos construir", declara a diretora.

ENREDO

Criada por Maria Carmem Barbosa e Thiago Luciano, com roteiros de Thiago Luciano, Renê Belmonte e Bruno Passeri, a série nacional pretende não só dar luz ao problema dos desaparecimentos, mas colocar uma lente de aumento nos sentimentos envolvidos nesses casos.

"O que a gente tentou fazer com todos os roteiros e arcos da série é mostrar essa ausência. Não só falar sobre o desaparecimento de pessoas, mas essa ausência de sentimentos, de reações", explicou o roteirista Thiago Luciano.

Na trama, após o desaparecimento de sua filha Sofia, o ex-delegado Raul Fagnani (Erom Cordeiro), abre a agência Ausentes, que se torna famosa no submundo de São Paulo por receber todo tipo de clientes, sobretudo aqueles que não podem ou não querem recorrer à polícia. Ele ainda tem esperança de descobrir o que aconteceu com sua filha. "Quando alguém não consegue pelo sistema, o desespero faz com que essa pessoa procure pelo Raul. E ele, tendo o caso da filha dele, consegue se conectar com a dor das pessoas. Existe afetividade", reforça o protagonista.

Já Maria Flor interpreta Maria Julia, que muda totalmente a rotina de Raul. Ela fugiu de Buenos Aires, após seu pai sumir misteriosamente, e está disposta a reencontrá-lo. Enquanto buscam por seus familiares, a dupla de investigadores se embrenha na procura por pistas para solucionar os casos que chegam à agência.

"Eu nunca tinha feito uma série de mistério e investigação. Foi a primeira vez que entrei em contato com esse universo. [...] É muito pesado, mesmo, em vários momentos a gente tinha que se aproximar de sensações e sentimentos por conta daquelas pessoas que estavam ali perdendo entes queridos", comentou a atriz.

Com mais de cem locações, dezenas de personagens secundários e centenas de figurantes, o elenco de Os Ausentes se completa com nomes como Marat DescartesJacqueline Sato, César Troncoso, Indira Nascimento, Nuno Leal Maia, Negra Li, Flávia Garrafa, Augusto Madeira, entre outros.

"A alma da série são os personagens, que formam uma família. Foi um processo longo, mas o resultado final ficou incrível. É possível ir do riso ao choro no mesmo episódio", promete a diretora Caroline Fioratti.

Comentários

Últimas notícias