LITERATURA

Escritora pernambucana abre financiamento coletivo para lançamento de livro de poesias

Em fase de pré-venda, 'Umbilical' reunirá poemas da autora e jornalista Nathalia Duprat

Nathália Pereira
Nathália Pereira
Publicado em 28/07/2021 às 19:24
Notícia
BENFEITORIA/DIVULGAÇÃO
'Umbilical' será lançado pela Editora Urutau - FOTO: BENFEITORIA/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Um "livro-embrião, que brotou como um amontoado de poemas que não se conectavam, mas traduziam um desejo de estar no mundo, de permear as  marginalidades mais subjetivas da escolha das palavras. Sem ordem ou cordas de sustentação, os poema transitavam entre os silêncios em busca de um lugar".

Assim, entre outros íntimos trechos de apresentação, a jornalista e escritora pernambucana Nathalia Duprat introduz ao mundo os universos que compõem Umbilical. O livro de poesias será lançado pela Editora Urutau e está em fase de pré-venda, por meio de financiamento coletivo, através do site benfeitoria.com/umbilical.

Os valores arrecadados serão destinados ao processo de produção do livro, como a revisão, diagramação, elaboração da capa e impressão. Também está previsto um lançamento online para assim que a obra estiver finalizada.

>> Leia também: Bienal Internacional do Livro de Pernambuco anuncia primeira edição híbrida

>> Leia também: Autora pernambucana transforma dureza das listas de tarefas em dicas para lidar com os anseios do dia a dia

RECOMPENSAS

O financiamento acontece por meio de recompensas, em que cada valor investido pelo benfeitor equivale a uma retribuição, que no caso de Umbilical vai do envio do livro em formato e-book por e-mail até um combo, contendo a versão física do livro e um cartaz assinados, além de outros dois títulos da mesma editora.

A campanha já atingiu algumas das metas pretendidas, mas segue aberta às contribuições voltadas para a quarta e última meta até o próximo dia 20/8, às 23h59. Para contribuir, basta clicar aqui.

Leia trecho de um dos poemas de Nathalia Duprat:

 

quatro minutos

"o poema levantou

passou um café

vestiu azul porque era sexta-feira

falou com o amante

me contou um segredo

 

o poema não sabia mais

atravessar as ruas 

era filho de uma mulher só

criatura do mato

meio loba, meio puta

era inteiro uma ideia"

Comentários

Últimas notícias