Música

Em novo EP, Ney Matogrosso canta Lenine, Lula Queiroga, Caetano Veloso e Raul Seixas

'Nu com a Minha Música' foi lançado no dia em que o artista completou 80 anos

Márcio Bastos
Cadastrado por
Márcio Bastos
Publicado em 03/08/2021 às 19:50
Ney Matogrosso - Foto: reprodução @neymatogrosso
Ney Matogrosso publicou foto do seu órgão genital na sua conta do Instagram - FOTO: Ney Matogrosso - Foto: reprodução @neymatogrosso
Leitura:

No dia de seu aniversário, domingo passado, Ney Matogrosso compartilhou com os fãs o EP Nu com a Minha Música. O projeto, com quatro faixas, está disponível nas plataformas de streaming e conta com versões de músicas de Caetano Veloso, Lenine e Lula Queiroga, Silvio Rodríguez e Paulo Coelho e Raul Seixas.

O EP é o primeiro de quatro que devem ser lançados nos próximos meses, compondo um álbum. À Vogue, revista da qual é a capa do mês, Ney adiantou que o trabalho ganhará uma versão física, provavelmente em novembro, e que conta com músicas que ele sempre teve vontade de cantar, mas nunca estiveram no seu repertório.

 

Essa precisão de Ney em selecionar canções que se adequam ao seu projeto artístico tem sido cada vez mais refinada em seu trabalho, como mostram shows como o recente Bloco na Rua, apresentado no Recife e registrado em CD e DVD. Ele passeia por diferentes décadas e compositores, de faixas pouco conhecidas a outras já amplamente revisitadas, e que, em sua voz, ganham novos contornos, atemporais e contemporâneos.

Exemplo disso é a faixa que dá nome ao EP, composta por Caetano Veloso. A interpretação de Ney descobre novas camadas na letra, que ganha contornos reflexivos quando cantadas por um homem de 80 anos com uma trajetória tão complexa como a dele. Há algo quase caloroso e calmo em sua versão, criando diálogos também com o contexto histórico do país, tão dolorido. Igualmente emblemática é sua interpretação de Guita, de Paulo Coelho e Raul Seixas.

O cantor também faz uma versão emocionante de Mi Unicornio Azul, do cubano Silvio Rodriguez, escrita para seu amigo, o revolucionário Roque Dalton, morto após ser acusado de espionagem.

Outro destaque do EP é sua versão para Se Não For Amor Eu Cegue, dos pernambucanos Lenine e Lula. De acordo com o jornalista Mauro Ferreira, do G1, outra dupla do Estado terá uma música regravada pelo cantor: Martins e PC Silva, representantes da nova geração, com a faixa Estranha Toada.

Comentários

Últimas notícias