MARVEL

Brasileiro Joe Bennett é desligado da Marvel após polêmica envolvendo Bolsonaro; entenda

O ilustrador adicionou à edição nº 43 de "O Imortal Hulk" desenhos que foram acusados de antissemitismo por retratar judeus de forma estereotipada

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 14/09/2021 às 9:12
Notícia
Divulgação
Antes de ser demitido, Bennett trabalhava na primeira edição de Timeless - FOTO: Divulgação
Leitura:

O ilustrador brasileiro Joe Bennett, conhecido por seu trabalho nos quadrinhos "O Imortal Hulk", foi excluído de "qualquer projeto futuro" da Marvel Comics, a qual pertencia desde 1994. A editora não revelou o motivo do desligamento, mas a demissão acontece alguns dias depois do roteirista americano Al Elwing repudiar, no Twitter, uma obra do desenhista paraense de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A imagem em apoio à Bolsonaro, de autoria de Bennett, foi publicada em 2017. Nela, o chefe do executivo aparece montado em um cavalo, empunhando uma espada e pisando em cima de seus adversários políticos, como os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e até Michel Temer, que hoje vem se aproximando de Bolsonaro. 

O desenho, no entanto, ressurgiu nos últimos dias e Ewing resolveu se pronunciar. 

“Tem uma imagem feita por Joe Bennett em 2017 circulando. Não vou compartilhá-la, mas a vi e é repreensível", escreveu Ewing. "Se você viu a imagem, sabe o que é. Um espadachim de armadura, que acredito ser Bolsonaro por causa dos comentários de Joe, massacrando pessoas pequenas em fuga, com dentes enormes e orelhas de rato. E grandes narizes. Um deles fantasiado de Drácula”, disse o roteirista. 

Reprodução/Facebook
A publicação é de 2017, mas veio à tona nos últimos dias - Reprodução/Facebook

"Imortal Hulk acabou, mas não irei mais trabalhar com Joe novamente. Se as pessoas escolherem não ler meu trabalho com outros artistas no futuro por causa disso, entenderei e aceitarei. Se eu perdi sua confiança, é culpa minha", completou Ewing.

Bennett trabalharia na HQ "Timeless #1", escrita por Jed Mackay, uma edição única responsável por dar início a um novo arco de histórias do Universo Marvel. A arte do quadrinho agora será assinada pelo desenhista Greg Land, conhecido por seu trabalho em Uncanny X-Men, Birds of Prey e Fantastic Four.

Polêmica antissemita

Além disso, em fevereiro deste ano, Bennett adicionou à edição nº 43 de "O Imortal Hulk" desenhos que foram acusados de antissemitismo por retratar judeus de forma estereotipada. No quadrinho, uma joalheria visitada pelo vilão mostrava, na fachada, uma Estrela de Davi e as palavras “Cronemberg’s Jewery”. O texto foi visto como ofensivo, já que a palavra "Jews" significa "judeus" em inglês e o termo Jewery é considerado extremamente pejorativo. Veja:

Reprodução/Marvel
O Imortal Hulk #43 - Reprodução/Marvel

Após a polêmica, a imagem foi rapidamente trocada e Bennett se desculpou. 

“[…] em O Imortal Hulk #43 eu incluí um aceno a David Cronenberg. Os erros de ortografia na janela foram um erro honesto porém terrível – como eu estava escrevendo ao contrário, acidentalmente escrevi ambas as palavras errado. Não tenho desculpas para como utilizei a Estrela de Davi. Eu falhei em compreender isso como um estereótipo problemático e ofensivo, e depois de ouvir a todos vocês, eu agora entendo meu erro", explicou. 

Comentários

Últimas notícias