Cinema

Marighella é o filme brasileiro mais visto desde o início da pandemia

Com estreia de Wagner Moura na direção, o filme aborda a luta de Carlos Marighella contra a ditadura militar brasileira

Do jornal O Povo para a Rede Nordeste
Do jornal O Povo para a Rede Nordeste
Publicado em 09/11/2021 às 13:59
DIVULGAÇÃO
FICHA TÉCNICA Seu Jorge interpreta Marighella, sob a direção de Wagner Moura - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Lançado em 2019 no Festival de Berlim, o filme "Marighella" só chegou aos cinemas brasileiros em 2021. Com pendências burocráticas, o longa foi barrado pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), o que Wagner Moura, diretor da obra, considerou uma censura do Governo Bolsonaro. Mas os números indicam que a espera valeu a pena. "Marighella" se tornou o filme brasileiro mais visto desde o início da pandemia. A matéria é do jornal O Povo para a Rede Nordeste.

A produção marca a estreia de Wagner Moura como diretor e traz Seu Jorge no papel do protagonista. O enredo é voltado para a luta de jovens guerrilheiros, comandados por Carlos Marighella, contra a ditadura militar, numa busca por incentivar a população brasileira a agir contra o autoritarismo.

Lançado no dia 4 de novembro nos cinemas nacionais, o longa marcou os 52 anos da morte do guerrilheiro, assassinado pela ditadura militar brasileira. Os dois anos de espera aumentaram ainda mais a ansiedade e desejo do público de conferir a obra. Mais de 100 mil pessoas já assistiram ao longa nas 300 salas onde está sendo exibido.

Inspirado na biografia "Marighella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo", escrita pelo jornalista Mário Magalhães, o filme não sofreu problemas apenas com o Governo Federal. Robôs atacaram o IMDb, o Internet Movie Database, uma base de dados online de informação sobre cinema, TV, música e games que pertence à Amazon, para dar avaliações negativas sobre o filme, de modo a desincentivar o público de assistir. O que não deu certo, já que o filme arrecadou quase R$2 milhões só na semana de estreia.

Além de Berlim, o filme já passou por festivais em Seattle, Hong Kong, Sydney, Santiago, Havana, Istambul, Atenas, Estocolmo, Cairo, entre cerca de 30 exibições em países dos cinco continentes.

Comentários

Últimas notícias