TV

'Se tem uma coisa que eu aprendi na minha vida foi a lidar com torcida', diz Tadeu Schmidt sobre BBB. Confira a entrevista

Com vasta experiência no ramo esportivo, jornalista reassistiu todo o BBB21 para se preparar: 'Quis entender tudo melhor e ficar mais íntimo do reality'

Emannuel Bento
Emannuel Bento
Publicado em 17/01/2022 às 16:36
SERGIO ZALIS/TV GLOBO
Tadeu Schimidt na casa BBB 22 - FOTO: SERGIO ZALIS/TV GLOBO
Leitura:

Cercado de expectativas após edições recentes de grande sucesso, o Big Brother Brasil 22 começa nesta segunda-feira (17), às 22h15. É Tadeu Schmidt quem assume o desafio de apresentar o programa após a saída de Tiago Leifert, à frente da atração desde 2017, quando Pedro Bial foi investir no "Conversa com Bial". O "BBB22" ainda tem direção geral de Rodrigo Dourado e direção de gênero de Boninho.

Como repórter de esporte, Schmidt trabalhou para diversos programas: Esporte Espetacular, Globo Esporte, Jornal Nacional, Fantástico e Bom Dia Brasil. Em 2011, o jornalista assumiu a apresentação do Fantástico, contribuindo para a criação de diversos quadros. Em novembro de 2021, deixou o programa jornalístico para assumir o Big Brother Brasil.

Em entrevista para a Comunicação da TV Globo, o jornalista falou sobre como vem encarando o novo trabalho, quais as expectativas para o andamento da edição e muito mais. Confira:

Entrevista com o apresentador Tadeu Schmidt

Qual foi a sua reação ao ser convidado para ser apresentador do BBB 22? Você esperava ser chamado?
Eu fiquei empolgadíssimo, feliz da vida, porque eu sei a importância e o tamanho que tem o "Big Brother Brasil". Acho um programa genial, curto como fã desde a primeira edição! Assistia para ver o desempenho do Pedro Bial e, depois, o do Tiago Leifert, que são craques. Eu apreciava assistir isso. Via também pelos VTs, que são muito divertidos, e para observar a conexão das pessoas, as características psicológicas, como elas se revelam. Todo mundo faz isso, não é? Quando estamos conversando com alguém, vamos pensando: "Ah, essa pessoa é mais mandona, essa aqui é mais tímida, essa aqui é mais extrovertida...". É genial poder ver as pessoas dessa forma. Eu sempre gostei de tudo isso, então saber que a responsabilidade de apresentar o BBB foi passada para mim, me encheu de orgulho e de felicidade.

Como está a expectativa para o início da temporada?
Eu estou louco para estrear! A contagem regressiva nas minhas redes sociais não é à toa. Sou só expectativa e empolgação. Eu coloco a minha alma em tudo que faço e, no BBB, não está sendo diferente. Estou aprendendo muito com as pessoas da equipe, que têm tanta experiência no programa, e também estou tendo liberdade para criar a minha maneira de apresentar. Já está sendo muito especial. Com a chegada dos fãs do BBB nas minhas redes, a sensação é que a nossa troca já está antecipando um pouco do que vamos viver juntos ao longo da temporada. Vejo que a empolgação é algo em comum entre a gente!

Você já tinha se imaginado apresentando o BBB antes do convite?
Várias vezes! Inclusive muitos anos antes de o Bial sair. Ficava pensando como seria estar ali, qual seria o meu jeito de apresentar... Nessa mesma época, quando estavam especulando quem poderia apresentar o programa no lugar dele e falaram meu nome, junto ao de outras pessoas, eu achei superlegal. Mesmo assim, não imaginava que iria mesmo acontecer, então por isso foi uma surpresa muito grande receber a notícia do convite.

O que tem feito para se preparar para o programa?
Eu assisti e reassisti a muita coisa, incluindo toda a edição anterior. Antes, eu acompanhava o "Big Brother Brasil" como um espectador, que pode assistir um dia, pode acabar perdendo outro... Até mesmo por causa da minha agenda no Fantástico isso acontecia. Então, além de conversar com a equipe do programa, claro, escolhi fazer dessa forma para entender tudo melhor e ficar mais íntimo do reality.

Assim como o esporte, o "Big Brother Brasil" é um jogo de torcidas. Como você pretende lidar com elas durante a temporada?
Se tem uma coisa que eu aprendi na minha vida foi a lidar com torcida (risos). Aprendi que o torcedor usa o coração. O mesmo cara que é superequilibrado, super centrado, na hora que vai para a torcida, ele enlouquece! Mas aprendi que não dá para ficar chateado com torcedor. No final, um torce pelo João e outro torce pela Maria. Se eu falar da Maria, o pessoal do João pode não curtir. Se eu falar do João, lá vem o grupo da Maria. Normal. Essa paixão pelo BBB trouxe o programa até a 22ª edição, então tem muita coisa boa aí e é nela que eu foco.

Você toparia participar do BBB?
Eu adoraria ser um brother pela experiência de ficar em um lugar fechado, em uma convivência intensa, sendo cercado pelas câmeras e com todo mundo vendo o que está acontecendo. Mas, sobretudo, por estar participando de um jogo. Eu fui atleta, minha família é de atletas. Um jogo em que o caminho para a vitória não é a minha velocidade, a minha força ou o meu talento e, sim, o meu jeito, a maneira como eu ajo e me posiciono diante das coisas, o meu caráter, a minha simpatia... Isso é demais! Imagina: é o meu jeitão que pode me levar à vitória! Eu adoraria participar de um programa que testa tudo isso. Estou ansioso para entrarmos logo no ar e eu poder acompanhar tudo de perto!

Comentários

Últimas notícias