Queda

Gasolina atinge menor preço desde 2005

Os preços médios do etanol seguiram vantajosos ante os da gasolina em apenas quatro Estados brasileiros

Estadão Conteúdo Douglas Hacknen
Cadastrado por
Estadão Conteúdo
Douglas Hacknen
Publicado em 20/04/2020 às 21:03 | Atualizado em 20/04/2020 às 21:19
Foto: Arquivo/JC Imagem
Agência Nacional do Petróleo avalia autorizar o delivery de gasolina. Veja como funciona - FOTO: Foto: Arquivo/JC Imagem
Leitura:

A Petrobras anunciou que irá reduzir os preços da gasolina e do diesel a partir desta terça-feira (21). O corte desta semana será o 11º na gasolina e o 10º no diesel. A redução segue a tendência internacional por conta da queda nas cotações do barril petróleo durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Os preços dos combustíveis nas refinarias da estatal atingiram os menores valores desde 2005, segundo dados compilados pelo Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), corrigidos pela inflação do período.

>> Prefeitos repudiam manifestações que atentem contra a democracia brasileira

>> Troca de ministro não significa desapreço à vida, afirma Guedes

>> Secretários do Recife se reúnem com vereadores para tratar sobre o coronavírus

O valor médio da gasolina vendido nos postos brasileiros caiu em 23 Estados e no Distrito Federal na semana passada, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas. Houve alta apenas no Acre, no Tocantins e em Sergipe. Na média nacional, o preço médio recuou 1,30% na semana sobre a anterior, de R$ 4,149 para R$ 4,095.

Em São Paulo, maior consumidor do País e com mais postos pesquisados, o litro da gasolina caiu 1,5%, de R$ 3,992 para R$ 3,932, em média. No Rio de Janeiro, o combustível recuou 1,18%, de R$ 4,670 para R$ 4,615, em média. Em Minas Gerais, houve queda no preço médio da gasolina de 1,33%, de R$ 4,349 para R$ 4,291 o litro.

Competitividade

Os preços médios do etanol seguiram vantajosos ante os da gasolina em apenas quatro Estados brasileiros - Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo - todos grandes produtores do biocombustível. O levantamento considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido, em média, por 64,06% do preço da gasolina, em Goiás a 65,33%, em Minas Gerais a 66,13% e, em São Paulo, a paridade ficou em 65,87%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 68,28% entre os preços médios de etanol e gasolina, também favorável ao biocombustível. A gasolina foi mais vantajosa no Amapá, com a paridade de 113,55% para o preço do etanol.

Comentários

Últimas notícias