Ministro da Economia

Ministro Paulo Guedes defende programa de renda mínima permanente após pandemia

Batizado de Renda Brasil, o programa deve ser mais abrangente que o Bolsa Família

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho
Publicado em 09/06/2020 às 9:44
Foto: Divulgação/Ministério da Economia
Paulo Guedes, ministro da Economia - FOTO: Foto: Divulgação/Ministério da Economia
Leitura:

O ministro da Economia, Paulo Guedes, formalizou nesta segunda-feira (8), em reunião com líderes partidários, que o governo federal vai criar um programa de renda mínima permanente após o fim da pandemia. Chamado de Renda Brasil, o programa deve ser mais abrangente que o Bolsa Família, segundo ele mesmo destacou na reunião.

>> É cretino atacar o governo do seu próprio país em vez de ajudar, diz Guedes

Ainda que tenha sinalizado que o programa ainda está “em elaboração”, o que não permitiu que ele falasse em detalhes aos parlamentares, o chefe da equipe econômica afirmou que uma das ideias mais consolidadas é a de estabelecer “gatilhos” para estimular que os beneficiários pelo programa busquem emprego.

>> 'Quem me conhece sabe que eu sou duro na queda', diz Guedes após rumores

De acordo o site Valor Econômico, a ideia de Jair Bolsonaro (sem partido) e da equipe econômica é estabelecer um programa que possa atender aos mais vulneráveis, incluindo os trabalhadores informais beneficiados pelo auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia. Com isso, a ideia seria "enterrar" o Bolsa Família, programa considerado uma bandeira dos governos petitas.

>> Guedes admite possibilidade de imprimir reais para combater a crise do coronavírus


Comentários

Últimas notícias