'SEGURO-MAMATA',

PF deflagra operação contra fraudes no seguro-desemprego em Pernambuco e outros três estados

Ao todo, são cumpridos 40 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão expedidos pela Justiça Federal, além do afastamento cautelar de 16 servidores públicos

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 14/10/2020 às 9:45
POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - FOTO: POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
Leitura:

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (14), uma operação que mira uma organização criminosa responsável por fraudes no seguro-desemprego em Pernambuco, Alagoas, Sergipe e São Paulo. Batizada de “Seguro-Mamata”, a ação cumpre 40 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão expedidos pela Justiça Federal em Alagoas. Além disso, 16 servidores públicos são alvo de afastamento cautelar.

» Operação da PF cumpre mandados em Pernambuco em operação que mira lavagem de dinheiro

» Operação apreende ecstasy e anabolizantes em encomendas nos Correios do Grande Recife

De acordo com a PF, o grupo criminoso atua desde 2016, estima-se que, com o esquema, os prejuízos aos cofres públicos totalizam aproximadamente R$ 12 milhões. Os materiais apreendidos durante a “Seguro-Mamata” foram encaminhados à sede da Polícia Federal em Alagoas para serem analisados.

» Pedidos de seguro-desemprego caem de agosto para setembro em Pernambuco, diz Economia

Modus operandi

O inquérito policial foi instaurado há cerca de um ano e meio. Durante as investigações, os policiais identificaram diversos vínculos empregatícios com empresas fantasmas e empregadores individuais inexistentes. Segundo a corporação, o grupo tinha o objetivo de criar artificiosamente direito ao seguro-desemprego.

A PF afirmou ainda que os suspeitos foram indiciados pelos crimes de formação de organização criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informações, peculato e estelionato. Se condenados, os envolvidos podem ficar até 37 anos presos, se somadas as penas máximas previstas para os crimes.

Veja imagens da operação:

POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO
A PF estima que, com o esquema, o grupo criminoso tenha causado prejuízos aos cofres públicos que totalizam aproximadamente R$ 12 milhões - POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias