INVESTIMENTO

Suape terá terminal de gás de R$ 1,2 bilhão e abertura de 1 mil vagas de emprego

Atualmente o Nordeste conta com um estoque de Gás Liquefeito de Petróleo de apenas quatro dias

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 14/07/2021 às 17:51
Notícia
JAILTON JR./JC IMAGEM
Redução do gás somente se aplica ao GLP destinado ao uso doméstico e embalado em recipientes de até 13 quilos - FOTO: JAILTON JR./JC IMAGEM
Leitura:

O Complexo Industrial e Portuário de Suape, na Região Metropolitana do Recife, terá um novo terminal de tancagem de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha. A estrutura é fruto de uma parceria entre a Nacional Gás, do Grupo Edson Queiroz, e a Liquigás e Copagaz, da Copa Energia, para atender a demanda de todo o Nordeste. O investimento chega a R$ 1,2 bilhão e vai gerar 1 mil novos empregos na fase de construção. 

O novo terminal contará com unidade de infraestrutura de 90 mil metros cúbicos de tancagem, além da implantação de dutos para movimentar a matéria-prima e fazer as conexões logísticas.

Além disse, haverá a implantação de tecnologia inédita no Brasil, na qual o gás é armazenado refrigerado, ocupando um volume reduzido que permite ampliar a capacidade de estoque. A previsão é de que o terminal, de 60 mil metros quadrados, comportará anualmente cerca de 1,5 milhão de toneladas de GLP.

 “Já temos um investimento anterior aqui em Pernambuco, e agora decidimos diversificar. Vamos atuar no setor de infraestrutura, e estamos começando pela infraestrutura portuária. Essa é uma grande oportunidade para investir em tancagem, dada a modernização e revisão do modelo de abastecimento do gás GLP por parte da Petrobras. Vamos aproveitar o terreno onde estamos para incluir esse novo projeto”, detalhou o presidente do Grupo Edson Queiroz, Carlos Rotella,em encontro com o governador Paulo Câmara (PSB) na tarde desta quarta-feira (14). Os aportes começaram com R$ 20 milhões investidos na requalificação das instalações da unidade de envase de GLP da empresa Nacional Gás, essencial ao novo projeto.

A Nacional Gás, Copagaz e Liquigás devem consumir cerca de 70% do volume de negócio. “O terminal estará disponível para que outras distribuidoras possam importar diretamente o combustível, contando com a nossa infraestrutura. Assim, terão mais agilidade, segurança e tecnologia à disposição”, complementa Rotella.

Atualmente o Nordeste conta com um estoque de Gás Liquefeito de Petróleo de apenas quatro dias

“A Copa Energia, com a aquisição da Liquigás, se tornou o maior player da América Latina de GLP e um dos principais do Nordeste. Esse investimento é um passo importante para garantia de abastecimento da região, porque passaremos a ter uma tancagem com maior capacidade de armazenamento, garantindo o abastecimento no longo prazo”, assegura o vice-presidente da Copa Energia, Pedro Turqueto.

Comentários

Últimas notícias