INFRAESTRUTURA

Governo federal lança edital para fazer projeto do Canal do Sertão Baiano

A água vai sair do lago de Sobradinho, na Bahia. Este mesmo reservatório já abastece o polo de fruticultura irrigada de Petrolina Juazeiro. O projeto básico custará R$ 19 milhões e será bancado pela União.

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 19/10/2021 às 12:43
DIVULGAÇÃO
O Canal do Sertão Baiano vai retirar a água do reservatório de Sobradinho, que também alimenta o polo de fruticultura irrigada de Petrolina-Juazeiro - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), e nesta terça-feira (20) no estado da Bahia para o segundo dia da Jornada das Águas – evento que partiu da nascente histórica do Rio São Francisco, no norte de Minas Gerais, e vai percorrer os nove estados do Nordeste com anúncios e entregas de obras de infraestrutura, preservação e recuperação de nascentes e cursos d’água, saneamento, irrigação, apoio ao setor produtivo e aos municípios, além de mudanças normativas que vão revolucionar a maneira como o brasileiro se relaciona com a água. A ação inclui também a inauguração do Ramal do Agreste, em Sertânia, construído pelo governo federal. Ainda em Pernambuco, a primeira etapa da Adutora do Agreste - que vai receber a água do Ramal - precisa de R$ 200 milhões para ser concluída em 2022. 

>> Bolsonaro entrega Ramal do Agreste a Pernambuco na próxima quinta-feira (21)

Técnicos do setor dizem que o Ramal foi concluído primeiro, porque o governo federal discrimina a gestão do governador Paulo Câmara, que faz oposição ao governo Bolsonaro. O Ramal do Agreste foi construído pelo próprio Ministério do Desenvolvimento Agrário com recursos da União e teve suas obras iniciadas em 2018. Já a Adutora do Agreste foi construída com 90% dos recursos da União, está em obras desde 2013 e paralisou várias vezes devido à pouca quantidade de verba enviada para bancar a obras. Para a Adutora do Agreste ser concluída em 2022,  é necessário que o governo federal repasse R$ 200 milhões para serem empregados na implantação da mesma. 

 

Durante o evento citado acima, o MDR vai lançar licitação para elaboração de estudos ambientais e projeto básico para as obras do Canal do Sertão Baiano, que vai beneficiar 1,2 milhão de pessoas em 44 cidades do interior da Bahia. O investimento do governo federal no projeto básico do Canal do Sertão Baiano será de R$ 19 milhões, dos quais R$ 4 milhões serão repassados ainda neste ano.

A infraestrutura hídrica como um todo está orçada em R$ 4,62 bilhões e servirá para garantir o abastecimento de água para consumo humano, industrial, de animais, além de permitir o desenvolvimento de cadeias produtivas como a da mineração e a agrícola, por meio do uso de técnicas de irrigação.

Com a construção do canal, as águas do Rio São Francisco também vão auxiliar na perenização de bacias hidrográficas dos Rios Itapecuru e Jacuípe, localizadas em regiões da Bahia com elevada escassez hídrica. No percurso, também serão atendidas as bacias dos Rios Tatauí, Salitre, Tourão/Poção e Vaza-Barris.

DETALHES

O Canal do Sertão baiano, que vai distribuir água do Velho Chico a partir do reservatório de Sobradinho, terá extensão de 300 quilômetros e será construído pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), instituição vinculada ao MDR. "É a água servindo como instrumento para melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas, além de permitir a geração de 45 mil empregos diretos e indiretos e renda nas áreas atendidas pela obra", como explica o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Ele está querendo disputar eleições majoritárias no próximo ano. 

“Água é vida, é o recurso que possibilita que as populações possam prosperar. E o futuro Canal do Sertão Baiano será indutor de desenvolvimento por onde ele passar, porque vai permitir que as pessoas possam dessedentar a sua sede e que uma série de cadeias produtivas possam ser fortalecidas ao longo da estrutura”, afirma. 

A construção do Canal do Sertão Baiano vai beneficiar uma série de atividades produtivas em seu entorno, especialmente relacionados a atividades rurais. A previsão é que 70 mil agricultores – 90% deles familiares – poderão melhorar sua produtividade com a maior oferta hídrica. Outros 10 mil trabalhadores rurais instalados em perímetros públicos de irrigação também serão beneficiados. Além disso, as águas do ‘Velho Chico’ vão permitir que 4,7 mil piscicultores possam manter sua ocupação.

O Canal do Sertão Alagoano será interligado ao Projeto Salitre, perímetro irrigado de cerca de 5,1 mil hectares implementado pela Codevasf em 1998, em Juazeiro (BA), e que teve a produção agrícola iniciada em 2010. Com a medida, o perímetro poderá ser expandido.

Até agora, o Projeto Salitre recebeu R$ 915,7 milhões em investimentos federais. O montante serviu para a aquisição da área, além da construção de 41,5 quilômetros de canais, 159,5 quilômetros de drenos, 116,3 quilômetros de estradas, 6,38 quilômetros de adutoras, seis estações de bombeamento e oito reservatórios.

O empreendimento é o mais novo de todos os perímetros irrigados da Codevasf e foi dividido em cinco etapas, sendo que a primeira delas já está totalmente operacional. Ela conta com 255 lotes agrícolas de agricultura familiar – com um total de 1,6 mil hectares – e outros 67 lotes empresariais – com área irrigável de 2,7 mil hectares.

As principais culturas produzidas são melão, banana, cana-de-açúcar, manga, cebola, goiaba e uva. A previsão é que o perímetro possa gerar cerca de 2,8 mil empregos diretos e outros 4,2 mil indiretos, com produção de até 228,5 mil toneladas. No ano passado, os agricultores locais conseguiram um Valor Bruto de Produção (VBP) de R$ 74,4 milhões.

Confira todos os municípios que serão beneficiados pelo Canal do Sertão Baiano: Andorinha, Antônio Gonçalves, Caém, Caldeirão Grande, Campo Formoso, Candeal, Capela do Alto Alegre, Capim Grosso, Filadélfia, Gavião, Ichu, Itiúba, Jacobina, Jaguarari, Juazeiro, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Morro do Chapéu, Mundo Novo, Nova Fátima, Ourolândia, Pé de Serra, Pindobaçu, Pintadas, Piritiba, Ponto Novo, Queimadas, Quixabeira, Riachão do Jacuípe, Santaluz, São Domingos, São José do Jacuípe, Saúde, Senhor do Bonfim, Serrolândia, Sobradinho, Tapiramutá, Umburanas, Valente, Várzea da Roça Várzea do Poço, Várzea Nova e Uauá.

 

Comentários

Últimas notícias