combustíveis

Petrobras defende reajustes de preços para evitar desabastecimento

De acordo com a empresa, ajustes de preços são importantes para que o mercado brasileiro continue sendo suprido por distribuidores, importadores e produtores

Agência Brasil
Cadastrado por
Agência Brasil
Publicado em 18/03/2022 às 9:28
FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL
ESTATAL Nomes precisam ser aprovados por assembleia de acionistas - FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

A Petrobras divulgou nesta sexta-feira (18) uma nota à imprensa em que defende o reajuste de preços de combustíveis de acordo com o mercado internacional de petróleo. A estatal brasileira informou que esse movimento é necessário para evitar riscos de desabastecimento.

De acordo com a empresa, ajustes de preços são importantes para que o mercado brasileiro continue sendo suprido por distribuidores, importadores e produtores.

A Petrobras informou que os reajustes anunciados no dia 10 de março, que incluíram aumentos de 18% na gasolina e de 24,9% no óleo diesel, foram uma resposta à disparada dos preços internacionais, resultante da invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro.

Segundo a nota, a Petrobras só fez o reajuste no dia 11 de março, ou seja, duas semanas depois. Ainda assim, a empresa diz que os aumentos só refletiam parte da elevação dos preços internacionais do petróleo, "que foram fortemente impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia".

A empresa destacou ainda que "tem sensibilidade quanto aos impactos dos preços na sociedade e mantém monitoramento diário do mercado nesse momento desafiador e de alta volatilidade, não podendo antecipar decisões sobre manutenção ou ajustes de preços".

Últimas notícias