jogos olímpicos

Prioridade do COI é definir nova data para os Jogos Olímpicos

Nova data deve ser marcada até 22 de setembro de 2021, data do encerramento do verão. Essa é a prioridade do comitê organizador local

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 26/03/2020 às 11:53
Notícia
Divulgação/COI
Presidente do COI, Thomas Bach, disse que prazo final é o verão de 2021 - FOTO: Divulgação/COI
Leitura:

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio começa nesta quinta-feira o trabalho para planejar a 32ª edição do evento, que agora será realizada em 2021. Após primeira reunião entre os membros da entidade, ficou decidido que a prioridade será definir a nova data de abertura da Olimpíada e da Paralimpíada de Tóquio. Depois disso será possível estabelecer questões de estrutura, logística, manutenção de equipamentos, entre outros pontos.

>> Adiamento dos Jogos Olímpicos deve gerar dívida de R$ 13 milhões para o Japão

De acordo com o presidente do Comitê Olímpico Internacional  (COI), Thomas Bach, o evento precisa acontecer até o verão de 2021, que termina no dia 22 de setembro. 

"Temos que decidir quando serão as cerimônias de abertura das Olimpíadas e Paralimpíadas. Sem isso, há muitas coisas que simplesmente não podemos fazer. Haverá custos adicionais com isso. Estamos lidando com adiamento dos Jogos, algo que nunca aconteceu na história. É uma tarefa assustadora", disse Toshiro Muto, CEO de Tóquio-2020.

Yoshiro destacou que o grande desafio é reprogramar um evento que estava sendo planejado há sete anos para acontecer entre os dias 24 de julho e 9 de agosto. "Em suma, o que estamos trabalhando há sete anos chegou a um ponto crítico quando estava prestes a começar. E agora temos que reconstruí-lo novamente. Vamos ter que remontar em seis meses o que fizemos em sete anos, por isso será difícil. Tomar decisões sem problemas será crucial", afirmou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias