união no futebol

Dono do Valladolid, Ronaldo escreve carta a sócios: 'nunca estivemos tão juntos'

Ronaldo Fenômeno disse que a distância é física, mas todos estão unidos pelo espírito coletivo

Cadastrado por
Agência Estado
Agência Estado
Agência Estado
Publicado em 26/04/2020 às 13:46 | Atualizado em 26/04/2020 às 14:04
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
O Fenômeno é o presidente do clube espanhol desde 2018 - FOTO: Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

Proprietário e presidente do Valladolid, Ronaldo Fenômeno escreveu uma carta bastante emotiva endereçada aos 22 mil sócios do clube espanhol. O objetivo do documento é passar uma mensagem de apoio aos torcedores em meio à pandemia do novo coronavírus, que infectou mais de 200 mil pessoas na Espanha e deixou mais de 20 mil vítimas fatais.

"Estamos separados pela distância física, mas estou convencido de que nunca estivemos tão juntos. Empatia é o que nos une agora o espírito coletivo, responsabilidade, humanidade. Estamos dentro de nossas casas por nós mesmos, por aqueles que amamos, por todos que nem conhecemos e por aqueles que não podem mais estar conosco. Ajudamos um ao outro, aprimorando essa solidariedade de várias maneiras", diz um trecho da carta.

>> Em vídeo, Neymar toca música de John Legend e mostra habilidades no piano

Momento para ser superado

Ronaldo relembrou um dos momentos mais difíceis de sua carreira, a primeira lesão no joelho, e outras dificuldades que podem servir como inspiração para que as pessoas possam superar a doença e os desafios impostos pelo vírus.

"Quando sofri minha primeira e mais grave lesão no joelho, havia pessoas que disseram que eu nunca mais jogaria futebol e que nunca mais voltaria a andar. Senti como se minha própria vida estivesse sendo tirada de mim. Foi nesses momentos que meus limites foram testados, e lutei para mudar essas opiniões e mostrar a todos que eu podia fazer o que mais queria. Foram três anos muito difíceis de reabilitação, motivados pelo desejo de voltar a sentir tudo o que eu só podia sentir em campo, com a bola nos pés. No final, chegou talvez o mais emblemático de toda a minha carreira: em 2002, lá estava eu, no Japão, disputando uma final da Copa do Mundo com o Brasil. Marcando dois gols contra a Alemanha. Para o meu país, o título pentacampeão, para mim, a consagração do meu retorno", escreveu o ex-jogador.

No começo do mês, Ronaldo pediu para que as pessoas ficassem em casa e respeitassem a quarentena na Espanha. Ele mora em Valladolid e disse estar trabalhando de sua casa e mantendo contato virtual com os funcionários do clube e as entidades de futebol. O Campeonato Espanhol, assim como as outras principais liga da Europa, ainda não tem data para ser retomado.

Comentários

Últimas notícias