Automobilismo

Contra o racismo, Mercedes vai correr com carro todo pintado de preto

Escuderia alemã reafirma compromisso público para melhor a diversidade da equipe e dá uma demonstração que é "contra o racismo e todas as formas de discriminação"

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 29/06/2020 às 10:29
Notícia
Mercedes/Divulgação
Equipe Mercedes trocou a cor prata pelo preto para os carros desta temporada - FOTO: Mercedes/Divulgação
Leitura:



A Mercedes, atual hexacampeã mundial de pilotos e construtores da Fórmula 1, revelou, nesta segunda-feira, que vai correr com um carro todo pintado de preto na temporada 2020. A atitude é uma forma de protesto da equipe contra qualquer tipo de discriminação e o novo layout já vai ser usado na estreia da temporada no próximo fim de semana, no GP da Áustria.

"Vamos competir de preto em 2020, como um compromisso público para melhorar a diversidade de nossa equipe - e uma declaração clara de que somos contra o racismo e todas as formas de discriminação", escreveu a equipe em uma nota nas redes sociais

O austríaco Toto Wolff, chefe da equipe, exaltou a iniciativa afirmou que a equipe pretende recrutar talentos de todas as origens para seu quadro de funcionários. "O racismo e a discriminação não têm lugar em nossa sociedade, esporte ou equipe: essa é uma crença central na Mercedes. Mas não basta ter as crenças e a mentalidade certas se permanecermos em silêncio. Desejamos usar nossa voz e nossa plataforma global para defender o respeito e a igualdade, e a Flecha de Prata correrá de preto durante toda a temporada 2020 para mostrar nosso compromisso com uma maior diversidade dentro de nossa equipe e esporte."

Engajamento

Nas últimas semanas, após o assassinato do americano George Floyd, Lewis Hamilton passou a se posicionar constantemente contra a discriminação racial. O hexacampeão cobrou da Fórmula 1 e de seus colegas uma postura ativa contra o racismo e depois participou pessoalmente de protestos de rua em Londres, na Inglaterra. O piloto inglês também foi nomeado líder da força-tarefa "We Race as One" ("Nós Corremos como Um", em português), criada pela F-1.

"É muito importante aproveitarmos esse momento e o utilizarmos para nos educar se você é um indivíduo, marca ou empresa para fazer mudanças realmente significativas quando se trata de garantir igualdade e inclusão. Pessoalmente, experimentei racismo em minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo, e estou falando de coração quando apelo à mudança. Gostaria de agradecer imensamente a Toto e ao Mercedes Board por dedicarem tempo para ouvir, conversar e realmente entender minhas experiências e paixões, e por fazer esta importante declaração de que estamos dispostos a mudar e melhorar. o negócio", afirmou Lewis Hamilton.

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias