Inglaterra

Manchester City goleia Liverpool em Anfield e dispara na liderança do Inglês

City, de Guardiola, nunca tinha vencido Liverpool em Anfield

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 07/02/2021 às 16:30
Notícia
AFP
City se consolida como favorito ao título inglês - FOTO: AFP
Leitura:

AFP - Mesmo desperdiçando um pênalti, o Manchester City goleou neste domingo, por 4 a 1, o Liverpool, que sofreu sua terceira derrota consecutiva em casa e viu suas chances de reconquistar o título seriamente comprometidas após 23 rodadas da Premier League.

Com esta vitória, os jogadores comandados por Pep Guardiola, que nunca haviam vencido em Anfield, abriram 5 pontos de vantagem sobre o vice-líder, o Manchester United, que no sábado empatou com o Everton (3-3), e tem agora 10 pontos a mais que o Liverpool (4º), sendo que disputou um jogo a menos do que essas duas equipes.

LEIA MAIS

Com dois gols de Ibrahimovic, Milan goleia Crotone e recupera liderança do Italiano

Manchester City goleia Liverpool em Anfield e dispara na liderança do Inglês

"Começamos bem, com muitos passes, porque não podemos jogar como eles, com transições rápidas. Temos que jogar em um ritmo mais lento. No segundo tempo a qualidade dos jogadores fez o resto", disse Guardiola.

Os 'Citizens' não venciam em Anfield havia 18 anos. Neste domingo eles conseguiram encerrar esse jejum em grande estilo, com uma vitória que abre caminho para o título.

O destaque da tarde foi o alemão Ilkay Gundogan, autor de dois gols (49 e 73) e que perdeu o pênalti. Brilhante como substituto do indispensável Kevin de Bruyne, lesionado, ele marcou 9 gols nos últimos 11 jogos da Premier League.

Os outros gols do City foram de autoria de Raheem Sterling (76) e Phil Foden (83).

Já o gol do time da casa foi marcado pelo egípcio Mohamed Salah de pênalti empatando provisoriamente em 1 a 1 (63).

Um dos maiores culpados pela derrota do Liverpool foi o goleiro brasileiro Alisson Becker, que falhou em três dos quatro gols.

"'Ali' já salvou nossas vidas muitas vezes e esta noite ele cometeu dois erros, foi assim. Não demos muitas chances a ele, principalmente no primeiro gol, talvez ele estivesse com os pés frios ou algo assim", disse o técnico dos 'Reds', Jurgen Klopp.

O Liverpool, que até poucas semanas atrás tinha o recorde de 68 jogos sem perder em casa, perdeu nas últimas três partidas, algo que não acontecia desde 1963.

Em grande fase, o Manchester City soma 14 vitórias consecutivas, sendo dez na Premier League.

Nenhuma descrição disponível.

TOTTENHAM VENCE

Mais cedo, com a volta do atacante Harry Kane, autor de um gol, o Tottenham se reencontrou com a vitória ao derrotar o West Bromwich Albion (19º) por 2 a 0, e segue perto das posições de classificação para as competições europeias.

Com 36 pontos, os Spurs ocupam provisoriamente a sétima posição, a 7 pontos do pódio, com um jogo a menos, enquanto o West Brom, com 12 pontos (a 11 da primeira equipe fora da zona de rebaixamento), parece cada vez mais perto da segunda divisão, um ano após sua promoção.

Antes deste jogo, o Tottenham vinha de três derrotas consecutivas na Premier, algo nunca antes visto para uma equipe comandada por José Mourinho.

No primeiro revés dessa série (3-1 diante do Liverpool), o time havia perdido Kane, lesionado, e parecia ter ficado sem sua alma e energia no ataque.

A volta do capitão da seleção inglesa fez bem à equipe, embora esta vitória tenha sido contra um time que sofreu 54 gols em 23 jogos.

Em um jogo em que teve amplo domínio, a equipe londrina teve que esperar até o segundo tempo para fazer o primeiro gol, de Kane, após um passe do dinamarquês Pierre-Emile Hojberg (54).

O segundo gol veio quatro minutos depois, em um contra-ataque puxado pelo brasileiro Lucas Moura, que deu o passe decisivo para o sul-coreano Son Heung Min ampliar (58).

O resultado é uma injeção de ânimo para o Tottenham, que vai visitar o Manchester City no próximo sábado em um duelo bem diferente.

Em outro jogo disputado neste domingo, o Leicester (3º) somou um ponto ao empatar em 0 a 0 em sua visita ao Wolverhampton (14º).

Comentários

Últimas notícias