TÓQUIO 2020

Brasil vira o placar mas cede o empate contra a Holanda no futebol feminino

Debinha, Marta e Ludmila marcaram para a seleção brasileira

Túlio Feitosa
Túlio Feitosa
Publicado em 24/07/2021 às 10:01
Notícia
Kohei CHIBAHARA / AFP
Marta marcou o segundo gol da partida e está a apenas um para empatar com Cristiane na artilharia de todas as Olimpíadas - FOTO: Kohei CHIBAHARA / AFP
Leitura:

A seleção brasileira feminina teve um duelo difícil como provação na Olimpíada de Tóquio. Em duelo contra a forte seleção holandesa, na manhã deste sábado (24), a equipe da técnica Pia Sundhage ficou na desvantagem duas vezes, mas virou o placar e acabou tomando o empate em bela cobrança de falta da Holanda em partida que acabou em 3x3 no placar. Debinha, Marta e Ludmila foram as autoras dos gols brasileiros.

Empatadas em número de pontos, a liderança do Grupo F será decidida na última rodada. Caso as brasileiras e as holandesas vencam seus respectivos confrontos, a liderança será definida pelo saldo de gols. Atualmente a Holanda está com sete gols de saldo, enquanto o Brasil tem cinco.

A seleção brasileira feminina de futebol volta a campo na próxima terça-feira (27), às 8h30, contra a Zâmbia, que foi derrotada por 10x3 pela Holanda na rodada anterior.

O jogo

As holandesas não demoraram para abrir o placar. Já aos dois minutos, Miedema recebeu na entrada da área e bateu no canto esquerdo da goleira Bárbara. O Brasil veio empatar aos 15 minutos com Debinha, que recebeu bola de Duda na pequena área e bateu em cima da defesa, mas pegou o rebote e marcou o gol brasileiro.

No segundo tempo, a Holanda voltou a assumir a frente do placar. Miedema, de novo, recebeu cruzamento e cabeceou no alto, contando com a falha da goleira Bárbara, que tocou na bola, mas não impediu que ela entrasse no gol.

A seleção brasileira reagiu em seguida. Ludmila, que entrou no segundo tempo para mudar o jogo, sofreu penalidade e Marta foi para a cobrança. Bola para um lado e goleira para o outro, 2x2. A camisa 10 chegou na marca dos 13 gols em Olimpíadas, segunda melhor marca da competição atrás apenas da atacante brasileira Cristiane (14 gols), que não foi convocada para Tóquio.

Ludmila voltou a brilhar ao receber a bola pela ponta direita. Ela driblou a goleira holandesa e finalizou para botar o Brasil na vantagem. Mas o jogo não acabou por aí. Em falta na intermediária, aos 33 minutos do segundo tempo, a holandesa Dominique Janssen fez uma linda cobrança e a goleira Bárbara não conseguiu chegar inteira na bola. A partida voltou a ficar empatada.

Comentários

Últimas notícias