Náutico

Crise causada pelo coronavírus prejudica andamento de obras nos Aflitos

Náutico terá que diminuir as obras nos Aflitos por conta da pandemia do novo coronavírus

Fernando Castro
Fernando Castro
Publicado em 24/03/2020 às 18:09
Notícia
Fernando Castro/JC
Náutico vai levar mais tempo para requalificar coluna dos Aflitos - FOTO: Fernando Castro/JC
Leitura:

A pandemia do novo coronavírus tem afetado o Náutico dentro e fora de campo. Além das atividades suspensas com a paralisação dos campeonatos, o clube também terá que diminuir o ritmo das obras nos Aflitos. Tanto a requalificação de uma das pilastras das arquibancadas, danificada há mais de um mês após acidente com um caminhão, quanto as obras exigidas pelo Corpo de Bombeiros para o estádio voltar a ter capacidade máxima, sofreram mudanças no cronograma de execuções.

"Com toda essa crise na saúde por conta do coronavírus, foi prejudicado o andamento não só das intervenções do Corpo de Bombeiros, mas também as obras na coluna e vigas no setor da arquibancada. Nós já iniciamos uma etapa de estrutura metálica nas vigas e coluna, provavelmente a empresa deve estar fazendo alguma execução menor nesses dias, ela está com uma grande dificuldade em razão do material, com tudo fechado, isso tem dificultado bastante", explicou Eduardo Carvalho, diretor patrimonial do Náutico.

Com a capacidade dos Aflitos reduzida desde o primeiro jogo oficial da temporada, o Náutico tem trabalhado há mais de dois meses para atender por completo as exigências do Corpo de Bombeiros. A diretoria alvirrubra até conseguiu aumentar a carga para 14.495 torcedores antes do jogo contra o Botafogo, pela Copa do Brasil, mas o objetivo principal do clube é conseguir ter de volta a capacidade máxima do estádio, estimada em 20 mil pessoas.

"Na questão do Corpo de Bombeiros, nós já avançamos. Existiam duas rampas de acessibilidade, uma no setor hexa e uma no setor social, das cadeiras, o Corpo de Bombeiros solicitou que nós retirássemos ela em razão de uma situação crítica no estádio, elas estavam atrapalhando o fluxo de saída dos torcedores, então nós já retiramos, estamos em fase de acabamentos e precisamos avançar em mais algumas situações no próprio estádio", destacou o diretor.

TRABALHO

Apesar das dificuldades por conta do novo coronavírus, o Náutico segue trabalhando para ter o projeto aprovado pelo Corpo de Bombeiros e voltar a ter capacidade de 20 mil pessoas nos Aflitos o quanto antes. "Não estamos parados, no que pudermos avançar em termos de projeto junto com o Corpo de Bombeiros estamos avançando, a empresa já foi contratada e passamos a planta de todo estádio para a gente avançar no projeto e voltarmos a ter a capacidade máxima no estádio", comentou Eduardo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias