Pouco Domínio em Casa

Náutico decepciona nos Aflitos nesta Série B e contraria seu bom histórico

Aproveitamento de 40,7% em casa é muito pouco para as pretensões que a equipe alvirrubra possui para esta Série B

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 27/10/2020 às 7:52
Notícia

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Alvirrubro venceu apenas dois dos nove jogos que fez em casa nesta Série B - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

O Náutico vem decepcionando seu torcedor na campanha desta Série B. Atualmente na 16ª colocação com 19 pontos, só não ocupa o Z4 por ter um saldo de gols melhor que o Figueirense, time que abre a zona de rebaixamento. Um fator, em especial, incomoda o torcedor, já que quebra uma tradição que o Alvirrubro sempre teve: a de ser forte nos Aflitos.

Com o fechamento dos jogos em casa no primeiro turno, o Timbu somou apenas 11 dos 27 pontos disputados, o que resulta em um aproveitamento de 40,7%. Foram duas vitórias, cinco empates e duas derrotas. Números desapontadores por alguns motivos. O Náutico é, até então, o terceiro pior mandante da competição. Também pesa o fato de não conseguir sustentar a vitória até o final dos duelos. Em quatro empates, o Alvirrubro saiu na frente do placar e desperdiçou a vantagem. Desse recorte, em três o time sofreu o empate depois dos 40 minutos da etapa final. Contra o CRB (aos 43), Chapecoense (aos 49) e Cruzeiro (aos 41). Momentos em que a equipe acabou sentindo o cansaço, sofreu com desatenções e cometeu falhas individuais que possibilitaram o tento de igualdade por parte do adversário.

 

Outro fator que pesa é pelo Náutico não conseguir repetir bons resultados, que eram sempre uma tônica do Timbu em anos anteriores da Segundona - excetuando 2017, ano em que foi rebaixado para a Série C. Ao todo foram oito edições disputadas com 20 times no formato de pontos corridos e, excluindo a atual e a que terminou caindo de divisão, o Timbu conseguia, no mínimo, cinco vitórias em casa no primeiro turno, dado do ano de 2010, em que não conseguiu o acesso. Mas havia somado 19 pontos nos nove primeiros jogos em casa. Nas melhores campanhas nos Aflitos neste mesmo recorte, em 2011 e 2015, conquistou sete triunfos e dois empates, que resultam em 23 pontos e um aproveitamento de 85,2%.

Na visão de um dos novatos do elenco, o atacante Vinícius, é uma situação da qual o Náutico precisa ter um pouco mais de concentração para 'matar' o jogo. Diante do Cruzeiro, o roteiro que aconteceu diante da Chapecoense e CRB se repetiu. O time alvirrubro cria várias chances, incomoda a defesa adversária, mas não consegue balançar as redes novamente. Nisso, o adversário cresce de produção e, na base do abafa, consegue o empate no fim do jogo e dá um 'banho de água fria' nas pretensões do Timbu.

"Não entendo muito a situação em que estamos hoje, até porque temos um bom time. Na minha opinião, fomos melhores que o Cruzeiro, tivemos oportunidade e não matamos o jogo. E na nossa situação, acredito que precisamos concentrar mais e matar o jogo, para não acontecer uma situação como não aconteceu contra o Cruzeiro", afirmou o avançado em entrevista a Maciel Júnior, na Rádio Jornal.

Desempenho do Náutico no 1º turno da Série B em casa (era dos pontos corridos)

2006: 7V, 1E e 1D;

2010: 5V e 4E;

2011: 7V e 2E;

2014: 6V e 3D;

2015: 7V e 2E;

2016: 7V, 1E e 1D;

2017: 4E e 5D;

2020: 2V, 5E e 2D.

V = Vitórias
E = Empates
D = Derrotas

PODCAST

A difícil situação do Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro foi novamente tema do na Cara do Gol, podcast da Rádio Jornal sobre o futebol pernambucano. O programa é realizado ao vivo, toda segunda-feira, às 15h30, no canal da Rádio Jornal no YouTube.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias