QUER VAR

Presidente do Náutico quer VAR nas finais diante do Sport: 'Não sei porquê ser contra arbitragem de vídeo'

Náutico defende que os jogos das finais contra o Sport tenham arbitragem local e VAR

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 11/05/2021 às 15:12
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
PRESIDENTE Edno Melo rebateu as acusações, mas estava preocupado com a eleição: "Era para a gente estar discutindo propostas" - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Presidente do Náutico, Edno Melo disse que o Timbu quer arbitragem local e árbitro de vídeo nos jogos contra o Sport. Em entrevista ao Jornal do Commercio, o mandatário alvirrubro destacou que vai acontecer uma reunião na sede da Federação Pernambucana, na tarde desta terça-feira, com as direções dos dois clubes, que foram convidados pelo presidente Evandro Carvalho. Em pauta, claro, o tema arbitragem para os confrontos dos dias 16 e 23 de maio, datas para as partidas da decisão do Pernambucano.

"A gente vai ter uma reunião agora à tarde na FPF, com a diretoria de Sport e Náutico. Sobre arbitragem, vamos pedir o VAR e árbitros locais. Nada mais justo do que prestigiar a arbitragem local e para que não se cometa erros como ontem ( no jogo entre Sport e Salgueiro), na minha concepção não existiu o pênalti e se tivesse VAR o pênalti seria anulado. Mas não é algo que depende do Náutico. Se não tem VAR, não tem VAR. Se for árbitro Fifa no primeiro jogo, vai ter que ser no segundo", explicou o presidente.

Em entrevista ao JC, o presidente da FPF afirmou que, no momento, não tem como garantir a presença do árbitro de vídeo nos dois jogos contra da final entre Náutico e Sport.

O tema vem se tornando uma polêmica na fase final do Campeonato Pernambucano, uma vez que a FPF disse que só pode ter ou VAR ou arbitragem Fifa. Segundo a federação pernambucana, não dá para ter os dois. Nessa dividida, o Náutico preferiu o combo árbitro de vídeo + árbitros locais desde a semifinal contra o Santa Cruz. No entanto, por problemas técnicos, o recurso não foi utilizado e a arbitragem foi Fifa, ou seja, de outro estado. Entretanto, pelo lado do Sport, o Rubro-Negro foi na contramão do rival e optou pelo árbitro de fora na semifinal diante do Salgueiro.

Diante disso, naturalmente existe um impasse entre arbitragem local, VAR e árbitro Fifa. Ao ser questionado sobre a possibilidade de apenas no jogo em que o Náutico for mandante contar com o recurso tecnológico, Edno Melo afirmou que isso está completamente fora de cogitação. Além disso, citou alguns exemplos em que arbitragem de outro estado cometeu erros no Pernambucano. Para o presidente alvirrubro, não houve o pênalti que classificou o Sport para a decisão. Outro exemplo citado é no duelo entre Retrô e Santa Cruz, onde marcaram um pênalti irregular contra o Retrô, na visão dele.

"Não vai existir isso, só vai ter VAR se for nos dois jogos. Não existe isso de ter VAR um jogo e outro sem. O Náutico vai solicitar arbitragem local com árbitro de vídeo. Acho que o mais coerente é colocar os melhores árbitros de Pernambuco e colocar nessa final junto com o VAR, porque aí é possível corrigir alguma falha. A arbitragem nacional precisa de uma reciclagem, é muito injusto colocar apenas na conta da arbitragem de Pernambuco. Então para evitar qualquer tipo de problema o árbitro de vídeo resolve. Não sei porquê ser contra arbitragem de vídeo, não estou entendendo", finalizou.

Sobre o mando de campo, o presidente Edno Melo afirmou que o segundo jogo da final só não será nos Aflitos se o gramado não oferecer condições. Do contrário, o Timbu não abre mão de jogar a partida decisiva dentro dos seus domínios.

Comentários

Últimas notícias