Ilha do Retiro

Sport ganha alívio financeiro com volta dos patrocinadores

Sport contou basicamente com as receitas das mensalidades dos sócios e pequena cota da TV de R$ 500 mil durante paralisação

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 14/07/2020 às 8:03
Notícia
DIVULGAÇÃO
Sport lançou no final do mês de maio os novos uniformes em parceria com a Umbro - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A proximidade da volta dos jogos gerou um grande alívio financeiro ao Sport. Os patrocinadores, que suspenderam o contrato por causa da paralisação no futebol e na sociedade provocada pela pandemia do novo coronavírus, voltaram a pagar os compromissos firmados. A informação foi confirmada pelo diretor de marketing Rafael Soares em entrevista à Rádio Jornal. No total, o dirigente contou que o Leão permaneceu com os mesmos sete patrocinadores, porém, duas marcas ainda não acertaram para a Série A do Campeonato Brasileiro.

"Ainda temos alguns espaços disponíveis. Não queremos fazer um macacão de Fórmula 1. Ainda está aberto o patrocinador master. As marcas que já eram parceiras continuam. Também anunciamos mais dois patrocinadores para o Estadual e Copa do Nordeste. Temos sete patrocinadores e oito espaços ocupados, pois uma empresa se repete no meião. Assim, sobram mais três locais para negociar. Se os dois acertos pontuais não continuarem para o Brasileirão, serão cinco áreas abertas", afirmou o diretor leonino.

LEIA MAIS

> Sport: Barcia comete gafe e apaga postagem que provocava Santa Cruz

> Sport e Santa Cruz irão vender ingressos virtuais para clássico de domingo

> Veja o que cada clube precisa fazer para se classificar ao mata-mata do Campeonato Pernambucano

> Presidente do Conselho Deliberativo do Sport fala do projeto do novo estatuto

Questionado sobre a grande quantidade de marcas estampadas na camisa do Sport, Rafael Soares tratou com naturalidade e ressaltou que quase todos os clubes do Brasil vivem esse cenário. Vale lembrar que a pandemia atrapalhou o Leão de fechar um patrocinador master.

O acordo estava na fase de finalização do contrato, no entanto, a empresa recuou e alegou diminuição nos gastos diante do cenário de incertezas da economia. Além disso, o clube basicamente teve as receitas das mensalidades dos sócios e pequena cota da TV de R$ 500 mil durante paralisação.

"Acho que o torcedor do Sport entende que não cabe mais esse tipo de vaidade. O Corinthians, por exemplo, tem 13 marcas e comercializa espaços que a gente não coloca à disposição como embaixo da axila e perto do escudo. O Sport passou um grande tempo apenas com a Caixa Econômica. O que não era um trabalho do marketing. E, sim, do clube que se inscrevia, respondia os critérios e ganhava o grande patrocínio", disse Rafael.

"Agora a realidade é outra desde que a Caixa diminuiu a quantidade de parcerias. Tanto a gente como outras equipes estão indo no mercado em busca de três, quatro empresas que ocupem essa lacuna", acrescentou.

Jogo

A reestreia do Sport em 2020 acontece neste domingo contra o Santa Cruz na Ilha do Retiro. Em partida válida pela última rodada da primeira fase do Estadual, o Leão precisa vencer a Cobra Coral para garantir uma vaga nas quartas de final. Para essa partida, a direção rubro-negra vai vender ingressos virtuais e solidários em parceria com o Tricolor do Arruda. Ambos os clubes ainda tentaram sortear um carro com a torcida, porém, os trâmites para legalizar o sorteio impediram a concretização da ação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias