Leão

Setor que mais recebeu reforços, ataque do Sport ainda não deslanchou em 2020

Sport contratou dez jogadores para o ataque nesta temporada

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 03/12/2020 às 7:23
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Hernane não tem conseguido repetir boa temporada - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

O ataque foi o setor que o Sport mais investiu em reforços na temporada, porém, é o que gera maior dor de cabeça atualmente para o técnico Jair Ventura. Isso porque, além do mau momento das principais peças, outras apostas da direção não surtiram o efeito esperado e a prioritária postura defensiva tem atrapalhado. No total, dez contratações para o setor foram feitas em 2020, mas o Leão conta apenas com oito opções no pelotão de frente: Hernane Brocador, Mikael, Barcia, Marquinhos, Lucas Venuto, Maxwell, Dalberto e Vinícius Popó, esses dois últimos ainda não estrearam.

Ewandro, Ronaldo e Rogério chegaram a vestir a camisa leonina, mas não corresponderam e já foram liberados. Esse último envolvido na negociação que trouxe recentemente Dalberto, no fim do prazo de inscrição de atletas. Os remanescentes Elton, Pedro Maranhão e Juninho também deixaram o clube.

Entre as peças do ataque, o jovem Mikael chegou a ser emprestado no começo do ano para o Confiança e retornou ao Sport diante da necessidade de reforços para a posição, escassez de recursos e baixa performance de Brocador. Barcia e Marquinhos oscilaram muito até o momento na temporada e não conseguiram emplacar uma sequência positiva, mesmo considerados titulares durante todo o ano.

LEIA MAIS

Duelo entre São Paulo x Sport vai acontecer mais cedo no domingo

Jair Ventura ganha opção nas laterais do Sport diante do São Paulo no domingo

Candidatos Delmiro Gouveia e Luiz Carlos Belém detalham voto a favor do adiamento das eleições do Sport

Um dos artilheiros do Sport na campanha do acesso à Série A em 2019, Hernane não conseguiu repetir o bom desempenho. Em 32 jogos, marcou apenas sete tentos. Mesmo número de gols que Marquinhos e Barcia acumularam em 36 e 28 partidas, respectivamente. Juntos, os principais nomes do ataque, que estão na equipe desde a pré-temporada, balançaram a rede 21 vezes. Para se ter uma ideia, o atacante Thiago Galhardo, do Internacional, é o artilheiro do Brasileirão com pouco menos: 16 gols.

Entre as demais peças, a esperança é o prata da casa Mikael, que tem seis jogos e um tento marcado na volta ao time profissional. Já Lucas Venuto e Maxwell ainda não balançaram a rede. E, pelos números, não estão agradando: disputaram somente sete e nove jogos, respectivamente, o segundo tendo chegado no início de 2020 e o primeiro já durante a Série A.

Outro ponto que pode ser levado em consideração para explicar o baixo rendimento do ataque é a postura tática. No início da Era Jair Ventura, o desempenho foi positivo e equilibrado entre defesa e ataque, que aumentou a produção. Mas, nas últimas partidas, o time não conseguiu uma sequência de reação e olha a zona de rebaixamento de perto. É o 16º colocado com 25 pontos, um a mais que o Vasco, que abre a degola. Nos últimos dez jogos, o Leão somou apenas uma vitória, sete derrotas e um empate. Em 30 pontos disputados, acumulou apenas cinco. No geral, são sete vitórias, quatro empates e 12 tropeços.

Comentários

Últimas notícias