COLUNA DO ESTADÃO

Renan Calheiros vira pesadelo para o Planalto na CPI da Covid

As ações coordenadas de governistas nos últimos dias, com o próprio presidente à frente de algumas delas, deixaram claro: o Planalto não dorme bem à noite

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 27/04/2021 às 7:06
Notícia
FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
O senador Renan Calheiros - FOTO: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Não durou muito a conversa de Jair Bolsonaro de que não teme a CPI. As ações coordenadas de governistas nos últimos dias, com o próprio presidente à frente de algumas delas, deixaram claro: o Planalto não dorme bem à noite. Qualquer que seja o desfecho da tentativa de afastar Renan Calheiros da relatoria, quem convive com o influente senador alagoano diz que ele já esperava a investida jurídica e se preparou para revertê-la: é conhecido pela frieza na atuação contra adversários. Ou seja, se permanecer na relatoria, Bolsonaro deverá ter pesadelos.

República de Alagoas

Muito por conta das "questões regionais", o governo Jair Bolsonaro está emparedado entre o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e Renan (MDB-AL). Se fizer gestos para um, será retaliado pelo outro. Lira tem os pedidos de impeachment. Renan pode ter o destino da CPI que ameaça o governo.

Vixe

O líder do PL, Wellington Roberto (PB), está azedo desde que Marcelo Queiroga se tornou ministro da Saúde. Queiroga é ligado ao deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Hugo Motta (Rep-AL), adversários do líder do PL.

Só um

Pior: Ribeiro é cotado para o Senado ou o governo paraibano, ambos postos ambicionados por Wellington Roberto.

O troco

Quem mais sofre as consequências da crise paraibana é o ministro da Economia, Paulo Guedes, que entrou na linha de tiro de Wellington Roberto. A situação se agravou no impasse do Orçamento.

 Tá anotado

Diante da virulência dos ataques bolsonaristas contra Renan, o gabinete do senador tem feito análises detalhadas sobre suas redes sociais. De 16 a 22 de abril, das mais de 218 mil interações nas redes do emedebista, aproximadamente metade (108.981) era negativa.

Tanque cheio?

As investidas dos bolsonaristas contra Renan Calheiros acabaram dando combustível para a oposição na CPI da covid, que já tinha começado a semana comemorando a lista do próprio governo com seus pontos fracos (para dizer o mínimo) no combate à pandemia.

Acirrando...

Governadores estudam entrar com medida judicial no STJ pelo afastamento da subprocuradora Lindôra Araújo das investigações sobre supostos desvios de verbas federais enviadas aos Estados. Podem também solicitar o trancamento das ações.

...o cerco

A leitura, entre os gestores estaduais, é de que dificilmente o afastamento da subprocuradora se dará via Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Em linhas gerais, alegam que a subprocuradora emitiu "açodado" e "severo juízo de valor" sobre governadores, "à míngua de suficientes elementos".

Disputa...

A atuação de Lindôra Araújo gera desconforto entre colegas, pela sensibilidade dela aos anseios do governo e de Bolsonaro. O que torna ainda mais complicado o timing da denúncia apresentada contra o governador do Amazonas, Wilson Lima: véspera da CPI da covid.

...de narrativa

Procuradores avaliam que a investigação está bem fundamentada, talvez a mais robusta da leva do "covidão" nos Estados, mas temem que a "fama" de Lindôra seja usada pelo governador.

Pronto, falei

"Às vezes você precisa de um Bolsonaro para reconhecer a excelência de um Temer e nos fazer refletir que, talvez, o Lula não tenha sido tão ruim assim", diz Júnior Bozzella (PSL-SP)

 

Comentários

Últimas notícias