COLUNA DO ESTADÃO

Partido Novo vê janela de oportunidade para filiar Deltan Dallagnol

Renasceram, em clima de fim de ano, as esperanças do Partido Novo de contar com Deltan Dallagnol nas eleições 2022

Alberto Bombig
Alberto Bombig
Publicado em 30/11/2021 às 7:00
PEDRO DE OLIVEIRA/ALEP
Deltan é ex-coordenador da Lava Jato em Curitiba - FOTO: PEDRO DE OLIVEIRA/ALEP
Leitura:

Renasceram, em clima de fim de ano, as esperanças do Partido Novo de contar com Deltan Dallagnol nas eleições 2022. Em privado, amigos do ex-coordenador da Lava Jato em Curitiba dizem que ele tem receio de encontrar no Podemos "gente que não comunga de suas teses", como a pauta anticorrupção. Coincidência ou não, o Novo faz questão de insistir nessa tecla: "A nossa bancada sempre defende com muita clareza, coesão e convicção as pautas de combate à corrupção na Câmara, exatamente como Deltan. Seria um excelente quadro para o partido e um orgulho estar nessa batalha ao lado dele", diz o deputado Vinicius Poit (SP), pré-candidato ao governo de São Paulo pelo Novo.

E AGORA?

Renata Abreu, presidente do Podemos, chegou a anunciar a filiação de Dallagnol ao partido, para compor chapa com Sérgio Moro.

DEU A LARGADA

Rodrigo Pacheco cumpriu agenda cheia no Paraná, digna de pré-candidato ao Planalto. Em Curitiba, o senador do PSD almoçou com o governador Ratinho Jr., do mesmo partido que ele, foi homenageado com a Ordem da Luz dos Pinhais pelo prefeito Rafael Greca (DEM), se reuniu com parlamentares e depois com empresários.

CHEFE

Parte da tropa de choque de Jair Bolsonaro no Congresso deve acompanhar o presidente em sua filiação ao PL, como a presidente da CCJ da Câmara, Bia Kicis (PSL-DF), e o deputado Carlos Jordy (PSL-RJ). Eles calculam a migração de 20 a 25 bolsonaristas para o partido de Valdemar Costa Neto até o próximo ano eleitoral.

LULALCKMIN

Conforme avança a conversa entre Lula e Geraldo Alckmin, o PSB, possível destino do ex-governador nesse arranjo, se reposiciona para ficar bem na fita da eventual composição: Márcio França quer inverter o acordo inicial e ser o candidato ao governo de São Paulo, apoiado pelo petista Fernando Haddad.

AÍ...

O TCU julga nesta quarta-feira, 30, se há gastos fora do que a lei permite no cartão corporativo da Presidência. A data foi agendada seis meses após a proposta, relatada por Kim Kataguiri (DEM-SP), ter sido ser aprovada na Câmara, e causou espanto: Raimundo Carreiro foi mantido na relatoria do caso.

...NÃO

Elias Vaz (PSB-GO) chegou a fazer um pedido, sem resposta, para que o caso não fosse relatado por Carreiro, indicado por Bolsonaro para comandar a Embaixada do Brasil em Portugal.

ALÔ, TUCANOS

Tasso Jereissati ligou para Geraldo Alckmin, mas o número era antigo e a ligação caiu no Bandeirantes. O senador, claro, pediu para falar "com o governador". João Doria estava ocupado, mas ligou de volta rapidinho, todo animado. E Tasso, ao descobrir o engano, só enrolou...

ATIVO

Doria ainda tem agenda cheia de inaugurações no Estado antes de deixar o cargo, a começar pela estação Vila Sonia do Metrô no próximo mês.

*COM CAMILA TURTELLI. COLABORARAM BRENO PIRES E ELIANE CANTANHÊDE

PRONTO, FALEI!

Elias Vaz

Deputado federal (PSB-GO)

"No mínimo é uma falta de bom senso. Alguém sendo indicado pelo presidente não reúne condições para julgá-lo", sobre o ministro Raimundo Carreiro.

Comentários

Últimas notícias