COLUNA do estadão

Candidatura de Doria já não tinha vez nem para o mercado

Um dos responsáveis pelo plano de governo de Doria, Henrique Meirelles diz que, caso Tebet se interesse, pode ceder o trabalho desenvolvido

Mariana Carneiro
Cadastrado por
Mariana Carneiro
Publicado em 24/05/2022 às 7:00 | Atualizado em 24/05/2022 às 8:21
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
DECISÃO Doria fez um anúncio rodeado de tucanos, entre eles o presidente da legenda, Bruno Araújo - FOTO: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Leitura:

Não era apenas no PSDB que João Doria caminhava cada vez mais sozinho. Também entre empresários e investidores, ele vinha perdendo apoiadores que passaram a considerar Simone Tebet (MDB) candidata mais viável. Um manifesto em apoio à senadora já reuniu 3 mil nomes, que vão da indústria à Faria Lima, a exemplo de Candido Bracher, ex-presidente do Itaú Unibanco, Pedro Wongtschowski, do Grupo Ultra, e Wolff Klabin, presidente do conselho da Klabin, além de economistas de linhagem tucana, como Armínio Fraga, Eliana Cardoso e Elena Landau - líder do plano econômico de Tebet. Eles dizem ver a senadora como capaz de reunir os "melhores nomes" para traçar políticas públicas e acalmar investidores.

TE AJUDO

Um dos responsáveis pelo plano de governo de Doria, Henrique Meirelles diz que, caso Tebet se interesse, pode ceder o trabalho desenvolvido pelas economistas Ana Carla Abrão, Zeina Latif e Vanessa Canedo para a sua equipe.

SÃO TOMÉ

Depois da retirada de Doria, a cúpula do PSDB quer que o MDB, um partido também dividido, mostre que vai embarcar na candidatura de Simone Tebet. "Vamos nos reunir depois que o MDB fizer dever de casa dele", diz o senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Só depois disso, afirma ele, os partidos vão se reunir para discutir programas e propostas de governo.

MILHAS

O adiamento da reunião da executiva do PSDB, prevista para hoje, pegou de surpresa até os seus membros. Aliado de Eduardo Leite, Nelson Marchezan (RS) estava dentro do avião, prestes a decolar para Brasília, quando foi avisado.

COMPANHIA

Ontem, no dia que marcou o ponto final da candidatura de Doria, o governador Rodrigo Garcia (PSDB), um dos pivôs da desistência do tucano, cumpria agenda no interior de São Paulo com o presidente do MDB, Baleia Rossi. Hoje, Garcia e Doria se sentam à mesma mesa num evento do Lide.

PELO ZAP

Já Simone Tebet trocou mensagens com João Doria pelo WhatsApp, após o anúncio feito pelo tucano. Os dois costumavam manter conversas por esse canal.

VEM

José Serra, Arthur Virgílio e José Aníbal são os nomes que o PT quer buscar para abrir diálogo com "tucanos de plumagem nobre", em busca da ampliação da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva para o centro. "Com a desistência de Doria, as lideranças do PSDB estão desobrigadas a seguir com o MDB", diz Jilmar Tatto.

OLHO

Antes do anúncio de Doria, Valdemar Costa Neto, presidente do PL, de Jair Bolsonaro, disse a empresários na sexta que considera bastante provável uma definição das eleições já no primeiro turno. Ele creditou o cenário à falta de uma terceira via competitiva.

MOINHO

A aliados, Rodrigo Pacheco disse estar preocupado com o projeto do ICMS alimentar o discurso de Jair Bolsonaro de colocar a culpa nos governadores por falhas de sua gestão.

PRONTO, FALEI!

Arthur Virgílio - Candidato nas prévias do PSDB

"Em nome da dignidade do PSDB, as prévias devem ser arquivadas e retiradas do estatuto do partido, já que nada valem. Então, prévias nunca mais."

Comentários

Últimas notícias