Melhores Práticas

Quem somos

O Jornal do Commercio foi fundado em 3 de abril de 1919, pelo empresário F. Pessoa de Queiroz. Em 1987, o controle acionário da empresa foi assumido pelo grupo liderado pelo empresário João Carlos Paes Mendonça.

O JC faz parte do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC), que engloba a TV Jornal Recife, TV Jornal Caruaru, Rádio Jornal Recife, Rádio Jornal Caruaru, Rádio Jornal Petrolina, Rádio Jornal Garanhuns, Rádio Jornal Pesqueira, Rádio Jornal Limoeiro e o Portal NE10.

Em mais de um século de existência, o Jornal do Commercio tem como missão produzir jornalismo comprometido com os princípios éticos e legais, em favor da democracia, da liberdade de expressão e da justiça social. O jornalismo, feito sempre de forma crítica e independente, tem como o seu maior ativo a credibilidade conquistada ao longo de mais de dez décadas de serviços prestados à sociedade.

Expediente

Princípios editoriais

Os veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação são pautados pelo absoluto respeito à verdade e pelo exercício diário de ouvir os diferentes pontos de vista que envolvem a divulgação de uma informação. O fato jornalístico é tratado com isenção e responsabilidade, respeitando a intimidade, a vida privada e a imagem das pessoas.

Temos o cuidado em preservar quaisquer elementos que possam identificar vítimas de abusos sexuais, muitas vezes resguardando o direito de imagem, mesmo com autorização expressa para divulgá-la. A transparência é um dos princípios norteadores do SJCC. Os compromissos assumidos com as fontes de informação, inclusive o resguardo do sigilo quando necessário, são valores presentes na prática jornalística de todos que fazem o sistema.

Não temos compromisso com o erro. Informações inexatas ou falsas que venham a ser eventualmente divulgadas são corrigidas o mais rápido possível, explicitando o erro cometido, bem como a data de sua publicação.

Não temos compromisso com o erro. Informações inexatas ou falsas que venham a ser eventualmente divulgadas são corrigidas o mais rápido possível, explicitando o erro cometido, bem como a data de sua publicação. Pedidos de correção podem ser encaminhados ao email editores@jc.com.br

Praticamos o respeito à diversidade. Internamente, buscamos desenvolver pessoas, administrar os conflitos respeitando as diferenças e o trabalho em equipe.

A inclusão é o cerne do pensamento e da atuação dos jornalistas. As questões complexas que enfrentamos na sociedade exigem respeito à diversidade: a raça, a classe, a geração, o gênero e a geografia afetam o ponto de vista da cobertura. Refletir tais diferenças em nossas reportagens permite a produção de matérias melhores e mais matizadas para melhor informar nossa comunidade.

Quem financia

O SJCC é parte do Grupo JCPM, presidido pelo empresário João Carlos Paes Mendonça, empreendedor sergipano radicado em Pernambuco. João Carlos Paes Mendonça é o acionista controlador do SJCC. Como empresário, tornou-se conhecido nacionalmente ao criar a rede de supermercados Bompreço, que teve seu controle acionário vendido em 2000.

A holding JCPM tem controle ou participação acionária em vários empreendimentos na área de shoppings centers, entre eles o Shopping Villa Lobos, em São Paulo; RioMar Recife, Shopping Center Recife, Shopping Guararapes, Plaza Shopping e Shopping Tacaruna, em Pernambuco; Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping, na Bahia; RioMar Fortaleza, RioMar Kennedy, no Ceará; RioMar Aracaju e Shopping Jardins, em Sergipe.

Também se destaca na área de empreendimentos imobiliários, com o JCPM Trade Center, RioMar Trade Center 3, Guadalupe Brasil, LeParc Boa Viagem, em Pernambuco; Downtown Salvador Shopping, na Bahia; Empresarial RioMar Kennedy e RioMar Trade Center Fortaleza, no Ceará.

O JC tem como suas principais fontes de receita a venda de espaços publicitários no jornal impresso e nos seus meios digitais, além da venda de assinaturas tanto da versão impressa quanto da sua réplica digital. Do total de receitas faturadas em 2019, 6,10% foram oriundas de fontes governamentais, seja nas esferas federal, estadual e municipais.

Compromisso socioambiental

A responsabilidade socioambiental é um dos pilares do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação e do Grupo JCPM. O Grupo mantém, através da Fundação Pedro Paes Mendonça e do Instituto João Carlos Paes Mendonça, importantes iniciativas sociais. Na Serra do Machado, povoado de Ribeirópolis, no interior de Sergipe, oferece à população, através da FPPM, educação integral, saúde, moradia, estímulo à geração de renda, atividades culturais e acolhimento aos idosos.

Nas capitais onde tem empreendimentos, capacita e eleva o potencial de empregabilidade de jovens de 16 a 24 anos, por meio das atividades do Instituto JCPM de Compromisso Social.

O Grupo tem como prioridade desenvolver e operar empreendimentos sustentáveis, construídos com tecnologias capazes de demandar menos recursos naturais, e que se integram ao meio ambiente onde são implantados.

Fale conosco

A redação do Jornal do Commercio está localizada na Rua da Fundição, nº 257, em Santo Amaro, Recife, Pernambuco.

Código de Conduta

O Sistema Jornal do Commercio de Comunicação segue as orientações do Código de Conduta do Grupo JCPM, do qual faz parte. O Grupo JCPM é uma holding, composta por empresas com atuação nos segmentos Imobiliário, de Comunicação e de Shopping Centers.

Em todos os negócios que realiza ou dos quais participa, o Grupo JCPM orienta-se por: valores éticos e morais; valorização das pessoas e da cidadania; preservação e respeito ao meio ambiente; desenvolvimento, integração, inclusão social e interação dos indivíduos das comunidades localizadas no entorno de seus empreendimentos; e aprimoramento de seus negócios e da função social deles.

Respeitamos as pessoas em todos os níveis

Nosso ambiente de trabalho é e deve ser respeitoso e cortês, independentemente do cargo ocupado pelo colaborador. A posição hierárquica indica a responsabilidade de cada cargo e deve ser respeitada, mas não pode e nem deve servir de apoio para qualquer comportamento que desfavoreça a igualdade de tratamento entre as pessoas, quando no exercício das funções de cada profissional.

Respeitamos as diferença

Repudiamos qualquer ato preconceituoso. Todos são dignos e merecedores de receber o mesmo tratamento, independentemente de sexo, idade, gênero, religião, crença, orientação sexual, estado civil, condição social, raça ou nacionalidade. Não admitimos comentários de cunho preconceituoso e atos que configurem assédio, incluindo aqueles de natureza moral ou sexual.

Respeitamos o entorno e trabalhamos integrados a ele

Impulsionamos o desenvolvimento de regiões, mediante redução de desigualdades e melhora na qualidade dos bens e serviços que disponibilizamos, mas sempre respeitando a cultura e as características de cada uma dessas regiões. Valorizamos o crescimento conjunto: comunidades e empreendimentos.

Respeitamos o meio ambiente

Todos os negócios do Grupo são pautados pelo respeito ao meio ambiente. Investimos em tecnologias capazes de reduzir a demanda por recursos naturais e não renováveis e atuamos de forma a preservar o ambiente onde estamos inseridos. Além disso, estimulamos na sociedade em geral, através dos empreendimentos, a consciência ambiental. Como um Grupo que almeja estar na vanguarda de tecnologias que favoreçam o meio ambiente, buscamos incentivar nos parceiros o mesmo comprometimento.

Relacionamento entre as empresas do Grupo

Valorizamos a troca de informação e experiências entre empreendimentos do Grupo. Entendemos que a sinergia é uma das grandes vantagens de uma holding. Por isso, indica-se e encoraja-se que os colaboradores, sobretudo aqueles que exercem funções relativas aos cargos de liderança, compartilhem informações que possam auxiliar o desenvolvimento uniforme de todos os empreendimentos do Grupo.

Atenção especial deve ser dada quanto à natureza e pertinência das informações que podem ser compartilhadas. Resultados internos, informações ou indicadores tidos como estratégicos e de relevância exclusiva para cada empreendimento devem ser resguardados.

Relacionamento com parceiros

Essa relação é pautada pelo respeito, pela igualdade e transparência. Lojistas, fornecedores, clientes, todos são tratados de forma igual, sem distinção de raça, religião, condição social ou econômica.

O sigilo sobre as informações dos parceiros deve, igualmente, ser respeitado por todos. Apenas devem ser expostos dados dentro da necessidade de realização do trabalho de cada área.

O mesmo cuidado deve ser observado com documentos para análise, e-mails, correspondências, atas de reuniões, entre outros itens que possam conter informações de propriedade da empresa. Todos devem ser atendidos e ouvidos com cordialidade e presteza.

Relacionamento com a concorrência

Acreditamos que a concorrência estimula cada um de nós a ser sempre melhor na realização das nossas atividades. Nossa relação com o mercado é de respeito, e não admitimos qualquer gesto que possa prejudicar a continuidade dos negócios e a convivência com empresas concorrentes. Não buscamos conseguir, de forma escusa, informações confi denciais sobre a concorrência. Tal atitude não será aceita.

Comportamento profissional

É vedado a qualquer colaborador integrante do Grupo usar o cargo para buscar benefício próprio ou propiciar vantagens para parentes e amigos. É igualmente proibido usar a função para intimidar colegas a fim de buscar benefícios. Destacamos que o cargo de cada colaborador foi concebido para atender aos interesses do Grupo; sendo assim, no exercício dessa função, nenhum proveito pessoal deverá ser obtido além da remuneração prevista pelo empregador.

Conflitos de interesses

O Grupo respeita a individualidade de cada colaborador; desse modo, nessa relação, é requerida atenção aos limites necessários para preservação das áreas de interesse de cada uma das partes.

Sabemos que eventuais conflitos podem ocorrer e devem ser tratados com redobrado cuidado. Nesse caso, a principal providência é tornar transparente a situação ou circunstância de ocorrência do conflito, tais como:

  • O exercício de atividades paralelas profissionais e/ou remuneradas, fora do expediente de trabalho no Grupo;
  • articipações em empreendimentos nos quais o Grupo mantenha interesse, como, por exemplo,
  • O colaborador ou algum parente próximo ser acionista em lojas instaladas nos shopping centers do Grupo, dentre outras situações;
  • Atividades complementares à realizada no Sistema de Comunicação, tais como assessoria de comunicação, entre outros;
  • Relações com a concorrência;
  • Aquelas que envolvam relações de parentesco e que possam interferir em alguns dos exemplos citados anteriormente.

Tais circunstâncias devem ser declaradas pelo colaborador ao gestor imediato no momento da sua contratação ou a qualquer tempo, diante da ocorrência de uma eventual situação de conflito. É responsabilidade do gestor reportar esses casos ao Grupo, que conduzirá a solução da questão em eventual perda de independência nas atividades profissionais.

É vedado exercer atividades paralelas às do Grupo que configurem conflito de interesses ou concorrência, ou que comprometam suas obrigações e responsabilidades para com a empresa. Entende-se por conflito de interesses qualquer oportunidade na qual os objetivos particulares possam influenciar ação ou decisão em detrimento da integridade jornalística do Sistema Jornal do Commercio. Qualquer reportagem ou artigo que resultar de convite deve conter esclarecimento para o público da fonte de financiamento da cobertura. Nenhuma viagem de cortesia poderá ser solicitada por profissionais das redações.

A participação de jornalistas do SJCC em almoços, jantares ou confraternizações de caráter público deverá limitar-se à cobertura jornalística. Almoços ou jantares a convite de uma fonte para repassar informações podem ter a despesa paga por quem convidou, desde que o fato não prejudique a isenção jornalística nem traga constrangimento ao profissional. O profissional poderá participar de eventos particulares oferecidos por clientes, políticos e autoridades, lembrando sempre que tal presença não deve influenciar sua atuação jornalística.

Presentes, brindes, ingressos, favores, vantagens, tratamento especial ou privilégios que, por seu valor pecuniário, possam comprometer a integridade ou a atividade do repórter, colunista ou editor bem como causar constrangimento devem ser devolvidos. Brindes de pequeno valor pecuniário podem ser aceitos. Em caso de dúvida, o gestor da área deve ser consultado. É vedado ao jornalista ter qualquer tipo de benefício ou privilégio em estabelecimentos comerciais. Esses profissionais devem arcar com as despesas pessoais em estabelecimento de comércio e serviços, tais como restaurantes, estéticas, hotéis e salões de beleza, entre outros.

Buscamos a isenção

O Grupo tem a orientação de manter absoluta isenção em questões relacionadas, direta ou indiretamente, a temas de natureza política ou religiosa, exigindo de seus colaboradores idêntico comportamento durante o expediente e/ou no local de trabalho. Todo e qualquer colaborador, quando estiver representando publicamente o Grupo, deve se abster de manifestar opinião sobre atos de funcionários públicos ou mesmo de fazer comentários de natureza política e/ou religiosa.

Destacamos que eventuais filiações partidárias deverão ser reportadas à Diretoria imediata para avaliação dos possíveis impactos na atividade exercida pelo colaborador, com o intuito de preservar a imparcialidade e independência.

Não aceitamos vantagens ou outros benefícios que possam ser encarados como fatores de influência sobre nossas conclusões e decisões.

Reuniões com agentes públicos

Sempre que necessária reunião com agentes fiscais ou profissionais de órgãos públicos, o encontro deve ter a participação de mais de um integrante do Grupo. Não é recomendável a realização de reuniões com apenas um representante da empresa. Em casos excepcionais, o Vice-presidente ou o Diretor imediato deverá autorizar previamente.

Compromisso pela saúde e segurança no trabalho

A segurança é da responsabilidade de todos, independentemente do local de trabalho e da atividade exercida. Esperamos que coloquem sua saúde e segurança em primeiro lugar sempre. Nós formamos a empresa.

O Grupo não é contra o direito de cada um se expressar, mas será intolerante com pronunciamentos que sejam contra o Código de Conduta vigente.

O uso de rede social ou outro meio público para demonstrar atos preconceituosos ou de assédio, de qualquer caráter, que vão contra ao que prega a empresa, não será aceito. Não permitimos o uso de equipamentos da empresa para compartilhamento de mensagens de cunho preconceituoso. O Grupo se posicionará firmemente contra eventuais casos.

Atuação jornalística

Os veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação são pautados pelo respeito à verdade e pelo exercício de ouvir diferentes pontos de vista. O SJCC tem como missão levar informação e entretenimento para sua audiência, comprometido com os princípios éticos e legais, em favor da democracia, da liberdade de expressão e da justiça social.

Os jornalistas do SJCC são orientados a buscar provas documentais dos conteúdos apurados, bem como fontes que ofereçam diferentes perspectivas. No caso da publicação de informação em off, o jornalista buscará confirmar com mais de uma fonte a veracidade das informações. Os editores são orientados a questionar suas equipes a respeito da confiabilidade das fontes, multiplicidade de vozes, existência de evidências ou provas das informações. Um comitê editorial formado por jornalistas e executivos avalia semanalmente os conteúdos publicados sob a perspectiva jornalística e cidadã.

Com relação à cobertura policial, orientamos nossas equipes a não exibir cenas de violência explícita nem imagens de suspeitos que não passaram pelo devido processo legal. Preservamos os nomes de vítimas de situações de abuso ou constrangedoras. A edição de temas políticos busca equilíbrio entre as várias tendências. Em períodos eleitorais, buscamos divulgar de forma equivalente todos os candidatos cujos partidos têm representação no Congresso Nacional.

O JC é um veículo 100% digital e suas reportagens são identificadas de acordo com o tipo de conteúdo, a fim de levar transparência ao leitor. As reportagens patrocinadas são elaboradas por equipe própria e recebem o selo JC 360, núcleo de branded content do SJCC, além de apresentarem layout diferenciado dos demais conteúdos.

Temos o compromisso de assumir para nossos leitores quando erros de informação são cometidos. Buscamos a correção da informação o mais rápido possível e pedimos desculpas por eventuais equívocos. A retificação ou retirada de conteúdos oriundos de fontes oficiais e publicados a partir de apurações que seguem as normas da empresa só é feita mediante decisão judicial.

O SJCC encampa bandeiras editoriais em defesa de temas específicos, como questões ligadas à cidadania, combate ao preconceito e à violência, questões de saúde pública, campanhas de apoio à cidadania e ao desenvolvimento econômico com responsabilidade social.

Possíveis omissões ou dúvidas relativas a esse Código de Conduta serão abordadas pelo Comitê Editorial do SJCC.