Boa notícia

China zera transmissão local do coronavírus, mas registra 34 casos 'importados'

Por outro lado, o governo chinês verificou 34 casos de infectados que vieram do exterior

AFP
AFP
Publicado em 18/03/2020 às 23:28
Notícia
Leitura:

A China anunciou nesta quinta-feira (noite da quarta-feira, no Brasil) que nas últimas 24 horas não registrou qualquer novo caso de COVID-19, mas verificou 34 casos de infectados que vieram do exterior.

Segundo a Comissão Nacional de Saúde, estes 34 casos "importados" constituem o maior aumento diário em duas semanas.

Trata-se da primeira jornada sem casos locais de contaminação desde que as autoridades locais definiram, em janeiro, os critérios de contagem.

A Comissão também informou oito óbitos nas últimas 24 horas de pacientes do coronavírus, o que elevou o total de vítimas fatais na China continental a 3.245.

Os números revelam que a epidemia parece estar sob controle na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei e onde o COVID-19 foi inicialmente identificado, em dezembro de 2019.

O boletim revela ainda que apenas 7.263 pacientes permanecem internados na China devido ao COVID-19, que infectou mais de 81 mil pessoas no país.

Autoridades pedem a 500 milhões de pessoas que fiquem em casa

Ao menos 500 milhões de pessoas foram orientadas a ficar em casa pelas autoridades, em todo o mundo, para deter o avanço da pandemia de COVID-19, segundo levantamento realizado pela AFP.

Alguns países adotaram medidas coercitivas e outros optaram apenas por recomendações.

Confinamento obrigatório

A província chinesa de Hubei e sua capital, Wuhan, onde surgiu o novo coronavírus, estão isoladas do mundo desde o final de janeiro. A quarentena continua, mas desde 14 de março as restrições de deslocamento foram suavizadas, para alívio dos mais de 50 milhões habitantes da zona.

Após Hubei, ao menos oito países adotaram medidas coercitivas para confinar o conjunto de sua população: Itália (10 de março), Espanha (14), Líbano (15), República Tcheca (16), França, Israel e Venezuela (17), e Bélgica (18 de março).

No total, estes oito países reúnem 240 milhões de habitantes.

Na maioria deste territórios, ainda é possível sair para trabalhar, comprar produtos de primeira necessidade ou receber atenção médica.

Em menor escala, alguns países adotam medidas de confinamento específicas, como a Bulgária, que colocou em quarentena a cidade de Bansko, onde se encontra a maior estação de esqui do país, ou o Egito, que confinou todos os empregados do setor turístico na província do Mar Vermelho.

Confinamento recomendado

Ao menos quatro países - Alemanha, Áustria, Reino Unido e Irã - exortaram a população a limitar ao máximo seus deslocamentos e contatos, mas não adotaram medidas coercitivas. Estes quatro países têm cerca de 240 milhões de habitantes.

Mas tais apelos tem efeito limitado.

Na Alemanha, onde se organizaram várias “CoronaParties” em parques, a chanceler Angela Merkel pediu nesta quarta-feira à população que respeite as orientações sanitárias, “indispensáveis para salvar vidas”.

As autoridades iranianas, por sua parte, lamentaram que apesar das advertências, ainda há iranianos que não levam a “sério” a situação, e que os mercados estão “cheios”, nas vésperas do Ano Novo Persa, na sexta-feira.

Toque de recolher

Ao menos seis países ou territórios adotaram toques de recolher, proibindo deslocamentos entre o final da tarde e o início da manhã: Tunísia (18H00-06H00), Bolívia (17H00-05H00), Sérvia (20H00-05H00), o estado americano de Nova Jersey (20H00-05H00), o território americano de Porto Rico (21H00-05H00) e Manila, a capital das Filipinas (20H00-05H00).

Todos estes territórios somam 50 milhões de habitantes.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Veja o mapa que mostra como o novo coronavírus tem se espalhado pelo mundo

OMS declara pandemia de novo coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na última quarta-feira (11) que a epidemia de Covid-19, que infectou mais de 110.000 pessoas em todo mundo desde o final de dezembro, pode ser considerada uma "pandemia", mas que pode ser "controlada".

"Estamos profundamente preocupados com os níveis alarmantes de propagação e de gravidade, bem como com os níveis alarmantes de inação" no mundo, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva em Genebra.

"Consideramos, então, que a Covid-19 pode ser caracterizada como uma pandemia", afirmou.

 

Comentários

Últimas notícias