Coronavírus

Homem morre após tomar um tipo de cloroquina contra coronavírus

Um americano morreu e sua esposa está em estado crítico depois de o casal tomar fosfato de cloroquina que é usada para para limpar tanques de peixes

JC
JC
Publicado em 24/03/2020 às 17:28
Notícia
BRENDAN SMIALOWSKI/AFP
Trump avalia que OMS acobertou China no começo da pandemia de coronavírus - FOTO: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP
Leitura:

Um americano morreu e sua esposa está em estado crítico depois de o casal tomar uma tipo de apresentação da cloroquina, droga que foi apresentada pelo presidente Donald Trump como um possível tratamento para o novo coronavírus.

O casal tomou fosfato de cloroquina - uma forma de cloroquina usada para limpar tanques de peixes - em um aparente esforço de proteção contra o covid-19.

A cloroquina é uma droga conhecida no tratamento da malária, mas, nos EUA, a Food and Drug Administration (FDA), a agência federal americana de medicamentos e alimentos, não aprovou o remédio para o tratamento de pessoas infectadas pelo coronavírus.

O casal com idade na casa dos 60 anos, adoeceu 30 minutos após tomar a substância, segundo informou o hospital onde os dois pacientes foram internados no Arizona, Banner Health.

"Vimos a coletiva de imprensa dele. Trump continuou dizendo que era uma cura. Tínhamos medo de ficar doentes", disse a senhora ao canal de televisão NBC.

CASOS

Segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins, usada como referência no país, nos Estados Unidos o número de mortos pelo novo coronavírus subiu para 600 nesta terça-feira (24), enquanto o número de casos confirmados chegou a 49.768.

O casal já havia usado cloroquina anteriormente como tratamento para seus peixes e aproveitou para tomar o restante. A substância que eles tomaram é uma forma diferente do medicamento usado para tratar a malária.

 

Segundo a rede BBC, a Nigéria também relatou casos de envenenamento por cloroquina.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias