covid-19

Questionado sobre Bolsonaro, diretor da OMS ressalta seriedade do coronavírus

Na teleconferência sobre o assunto, o diretor-geral da OMS foi questionado sobre declarações recentes do presidente Jair Bolsonaro

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 25/03/2020 às 17:10
Notícia
Foto: AFP Arquivos
No contexto de combate à pandemia, a OMS afirmou que medidas de restrição à circulação de pessoas "são difíceis, mas a alternativa é pior", já que a livre movimentação acelera o número de novos casos, pressionando os sistemas de saúde. - FOTO: Foto: AFP Arquivos
Leitura:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e outras entidades internacionais subordinadas à Organização das Nações Unidas, como o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), lançaram nesta quarta-feira (25) um Plano de Resposta Humanitária Global contra os efeitos do coronavírus. Na teleconferência sobre o assunto, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, foi questionado pelo correspondente do UOL, Jamil Chade, sobre declarações recentes do presidente Jair Bolsonaro de que a doença seria similar a um "resfriado".

>> Publicação do Governo Federal defende isolamento para idosos durante crise do Coronavírus

>> Durante pronunciamento na TV, Bolsonaro é alvo de panelaços no Grande Recife

>> Após Bolsonaro pedir reabertura do comércio e escolas e fim da quarentena do coronavírus, políticos reagem

Ghebreyesus não quis se estender no assunto, mas comentou que em várias nações há muita necessidade agora de atendimentos de urgência, por causa da doença. "Em muitos países, o coronavírus é uma doença muito séria", afirmou.

Na teleconferência, que contou também com o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, as autoridades detalharam medidas para ajudar no combate ao coronavírus nos países mais pobres e vulneráveis, pedindo apoio, inclusive financeiro, a essas iniciativas. "A história nos julgará sobre como responderemos às comunidades mais pobres em sua hora mais difícil", afirmou Ghebreyesus.

O diretor-geral da OMS voltou a lembrar da seriedade do quadro atual sobre o coronavírus. "Como vocês sabem, a pandemia tem acelerado nas duas últimas semanas e, embora o coronavírus seja uma ameaça para todas as pessoas, o que é mais preocupante é o risco que o vírus representa para pessoas já afetadas pela crise", afirmou. Ghebreyesus também insistiu na importância de haver condições adequadas para profissionais de saúde, dizendo que eles "são heróis, mas também são humanos" e correm riscos.

Pronunciamento

Em pronunciamento feito em rede nacional, nesta terça-feira (24), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), voltou a atacar a imprensa, afirmando que, no começo da então epidemia do coronavírus, os meios de comunicação brasileiros foram "na contramão", espalhando, segundo ele, a sensação de pavor na população acerca da covid-19. Bolsonaro também atacou os gestores estaduais, alegando que as pessoas "precisam voltar à normalidade" e que é necessário reabrir o comércio e retirar a proibição de transportes públicos nas ruas, o que ele denomina de "conceito de terra arrasada". O presidente também se mostrou contra a quarentena para prevenção do vírus.

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias